Atlas náutico do mundo, verso do fólio 6, o Mar Mediterrâneo

Descrição

O mapa aqui apresentado pertence ao Atlas Miller, que integra as coleções da Biblioteca Nacional da França. Produzido em 1519 para o Rei Manuel I de Portugal pelos cartógrafos Pedro Reinel, seu filho Jorge Reinel, Lopo Homem e pelo miniaturista António de Holanda, o atlas contém oito mapas em seis folhas soltas, pintadas dos dois lados. Este mapa (verso do fólio 6 no atlas) mostra o Mar Mediterrâneo. A região representada abrange os litorais europeus da Jutlândia ao Cáucaso. A nomenclatura começa na Frissa (Frísia) e atravessa as costas sul da Inglaterra e da Irlanda. Os litorais do Mediterrâneo e do Atlântico se estendem até o Cabo Bojador (Ansulim). Também são exibidos o Mar Cáspio e as partes setentrionais do Mar Vermelho e do Golfo Pérsico. A nomenclatura que se estende a partir das costas orientais está em caligrafia cursiva preta e vermelha e os nomes das regiões, em letras maiúsculas pretas. Os nomes de províncias estão em letras douradas sobre flâmulas vermelhas e azuis. O mapa apresenta uma decoração muito rica, semelhante àquela de outros mapas do atlas: o Mar Vermelho aparece na cor vermelha e o Mar Cáspio e o Golfo Pérsico, em azul. Os litorais estão delineados com cores e as ilhas, em tinta de cor simples e em dourado. Os rios estão em azul ou verde. Cadeias de montanhas são retratadas coloridas e em perspectiva oblíqua. O mapa tem cerca de 50 miniaturas de cidades em perspectiva oblíqua, aparentemente sem qualquer pretensão de verossimilhança. Outros objetos retratados são a cruz do Gólgota sobre Jerusalém, as Tábuas da Lei no Monte Sinai e a Torre de Babel, entre os rios Tigre e Eufrates. Na África, são retratados quatro indivíduos, um deles montado sobre um cavalo, e oito tendas com bandeiras. Nos oceanos há oito embarcações, cinco das quais carregam a Cruz da Ordem de Cristo portuguesa. O mapa tem bordas vermelhas e douradas em três lados. Uma escala de comprimentos em posição vertical é retratada a leste dos Açores. A borda esquerda do mapa contém uma escala de latitudes que vai de 28° Norte a 59° Norte. Cada grau é dividido em quatro partes com pontos pretos e em três partes com pontos vermelhos. O meio de cada grau é indicado por um círculo vermelho. Um esboço de gradação das longitudes foi feito nos paralelos 33° 40', 43° 30' e 50° 50', com cada grau equivalente, respectivamente, a 18 mm, 16,3 mm, 14,7 mm e 12 mm. A origem das longitudes está fora do mapa da Bacia Mediterrânica, no mapa dos Açores, a 2° 16' na escala de latitude, que está a 2° do meridiano do Cabo de São Vicente. O atlas recebeu este nome em referência a Emmanuel Miller, que o adquiriu em 1855 de uma livraria em Santarém, Portugal. A viúva de Miller o vendeu à Biblioteca Nacional da França em 1897.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Tipo de Item

Descrição Física

1 mapa, velino: iluminado ; 118 x 61 centímetros

Coleção

Referências

  1. Catherine Hofmann, Hélène Richard, Emmanuelle Vagnon, et al., The Golden Age of Maritime Maps: When Europe Discovered the World (Buffalo, NY: Firefly, 2013).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de novembro de 2017