Plantas arquitetônicas para o Circo Equestre de Wulff, na Exposição Geral em Turin, 1884.

Descrição

Aqui estão exibidos os desenhos arquitetônicos para a construção do pavilhão do Circo Equestre Wulff (Circo Equestre de Wulff), durante a Exposição Geral em Turim. A exposição aconteceu de maio a setembro de 1884 e foi organizada pela Società Promotrice dell'Industria Nazionale (Sociedade para a Melhoria da Indústria Nacional). Os esboços do arquiteto F. Solmi mostram a elevação da fachada principal, os detalhes do segundo nível com as duas entradas e um corte transversal do andar principal do prédio do circo, construído especialmente para a feira. Acredita-se que o jornal nacional La Stampa tenha relatado que “não há exposição sem circo”. Como o desenho é numerado Tabela 126, é possível supor que fez parte de um trabalho maior, com detalhes sobre os diversos pavilhões onde a feira aconteceu. Os pavilhões foram organizados em categorias: artes plásticas, inovações científicas, produções literárias, didática, bem-estar, agricultura, nutrição e indústrias de mineração, de manufatura e de mecânica. A feira contou com 14.237 artistas e atraiu aproximadamente 3 milhões de visitantes. A construção do Circo Equestre de Wulff foi feita por trabalhadores venezianos da região de Cadore, que tinham a reputação de serem os melhores na construção de edifícios de madeira. A tecnologia mais moderna daquela época foi usada na construção do edifício. Especialmente projetado para um circo, ele media 25 metros de altura, 46 metros de diâmetro e tinha 13,5 metros de coxias. Tinha capacidade para 4.000 espectadores por apresentação. A estrutura era organizada em plataformas, arcadas e terraços; e todos tinham uma boa visão do palco. O espetáculo era acompanhado de uma orquestra que, de acordo com as crônicas da época, era um dos elementos mais atrativos. O edifício, chamado de Politeama, foi demolido no final da exposição. A companhia de Edoardo Wulff tinha 150 artistas e 94 animais. Os espetáculos na exposição começaram em 12 de abril e terminaram em 17 de outubro, quando a empresa se mudou para Milão. Entre os muitos outros espetáculos oferecidos na exposição, estavam as apresentações do domador de leões François Bidel, e os passeios de balão de Eugène Godard.

Última Atualização: 1º de junho de 2017