Exército japonês ocupa Vragaeschensk (Blagoveschensk)

Descrição

Durante a Guerra Civil Russa, o Exército Imperial Japonês, partindo de Vladivostok em direção ao norte e de Khabarovsk em direção ao oeste, tomou a cidade de Blagoveschensk em 23 de setembro de 1918. Esta litografia mostra soldados bolcheviques baixando as armas aos pés de oficiais japoneses, enquanto tropas japonesas marcham ao fundo. Localizada na confluência dos rios Amur e Zeya, Blagoveschensk era um local estrategicamente importante. Com a cidade segura, dois líderes oficiais japoneses, marechal de campo Uehara Yusaku e general Ugaki Kazunari, publicaram um documento intitulado “Estudo sobre o restabelecimento de uma frente do leste”, defendendo a ocupação japonesa de toda a Sibéria. O primeiro-ministro Hara Takashi e o ministro de guerra Tanaka Giichi, no entanto, acreditavam que não havia apoio político interno suficiente para uma intervenção em grande escala. Assim, em 22 de outubro de 1918 o gabinete japonês, liderado por Hara, reafirmou sua decisão anterior, não autorizando as forças japonesas a continuar o avanço em direção ao oeste além de Irkutsk.  Entre agosto de 1918 e outubro de 1922, o Exército Imperial Japonês participou da “Intervenção Siberiana”, uma tentativa das potências aliadas da Primeira Guerra Mundial de apoiar o Exército Branco contra os bolcheviques na Guerra Civil Russa (de 1917 a 1922). Soldados de nove países participaram da intervenção, iniciada em agosto de 1918. Mesmo com a retirada das tropas dos Estados Unidos e do Reino Unido em 1920, o exército japonês permaneceu no Extremo Oriente Russo e na Sibéria por mais dois anos. Mais de 70.000 soldados japoneses participaram dos combates. Para apoiar a ação dos militares japoneses, em 1919 a editora Shōbidō Co. Ltd., com sede em Tóquio, produziu uma série de litografias patrióticas intitulada “Ilustração da Guerra da Sibéria”, que retratava vários acontecimentos da campanha.

Última Atualização: 11 de setembro de 2017