Nossos ataques militares do céu, da água e do litoral, e o inimigo da Sibéria rechaçado

Descrição

Esta litografia que retrata uma cena da Guerra Civil Russa mostra forças japonesas que patrulhavam o ar e a água em torno da cidade de Khabarovsk, capturada por tropas japonesas e aliadas em 5 de setembro de 1918. É possível identificar a cidade pela icônica ponte sobre o rio Amur. O avião em primeiro plano parece ser um Farman MF7, aeronave francesa usada para reconhecimento e bombardeio. O Exército Imperial Japonês usou aviões MF7 durante a Batalha de Tsingtao em outono de 1914, então é provável que as aeronaves também foram utilizadas nas batalhas do Extremo Oriente Russo na Guerra Civil Russa. O MF7 é lembrado como a primeira aeronave registrada a ser derrubada em combate aéreo. Relatos informam que isso ocorreu durante o cerco de Tsingtao, quando o piloto de um avião alemão derrubou um MF7 japonês com sua pistola. Entre agosto de 1918 e outubro de 1922, o Exército Imperial Japonês participou da “Intervenção Siberiana”, uma tentativa das potências aliadas da Primeira Guerra Mundial de apoiar o Exército Branco contra os bolcheviques na Guerra Civil Russa (de 1917 a 1922). Soldados de nove países participaram da intervenção, iniciada em agosto de 1918. Mesmo com a retirada das tropas dos Estados Unidos e do Reino Unido em 1920, o exército japonês permaneceu no Extremo Oriente Russo e na Sibéria por mais dois anos. Mais de 70.000 soldados japoneses participaram dos combates. Para apoiar a ação dos militares japoneses, em 1919 a editora Shōbidō Co. Ltd., com sede em Tóquio, produziu uma série de litografias patrióticas intitulada “Ilustração da Guerra da Sibéria”, que retratava vários acontecimentos da campanha.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017