Invasão do exército japonês. Recebido por todas as nações em Vladivostok

Descrição

Em 12 de janeiro de 1918, o encouraçado Iwami, da Marinha Imperial Japonesa, navegou para o porto de Vladivostok, na costa pacífica do território russo. O governo japonês temia que o porto, de frente para o Mar do Japão e com grandes estoques de equipamentos militares, caísse em mãos bolchevistas. As tropas japonesas permaneceram no mar até 5 de abril, quando uma loja de proprietários nipônicos foi saqueada e dois cidadãos japoneses foram mortos durante um motim. Após o incidente, o governo japonês aprovou a invasão de uma companhia de fuzileiros navais, que passou a ocupar a cidade. Um destacamento de 100 fuzileiros navais britânicos também participou da invasão. Nesta litografia, tropas japonesas aparecem desembarcando no porto de Vladivostok, enquanto entusiastas residentes locais agitam bandeiras japonesas. Entre agosto de 1918 e outubro de 1922, o Exército Imperial Japonês participou da “Intervenção Siberiana”, uma tentativa das potências aliadas da Primeira Guerra Mundial de apoiar o Exército Branco contra os bolcheviques na Guerra Civil Russa (de 1917 a 1922). Soldados de nove países participaram da intervenção, iniciada em agosto de 1918. Mesmo com a retirada das tropas dos Estados Unidos e do Reino Unido em 1920, o exército japonês permaneceu no Extremo Oriente Russo e na Sibéria por mais dois anos. Mais de 70.000 soldados japoneses participaram dos combates. Para apoiar a ação dos militares japoneses, em 1919 a editora Shōbidō Co. Ltd., com sede em Tóquio, produziu uma série de litografias patrióticas intitulada “Ilustração da Guerra da Sibéria”, que retratava vários acontecimentos da campanha.

Última Atualização: 11 de setembro de 2017