Fragmento de “Moralia” em Jó, parte VI

Descrição

Este manuscrito do século VIII é um exemplo proeminente do patrimônio anglo-saxônico da Baviera e, mais especificamente, de Munique. O documento é uma cópia incompleta da exegese alegórica do Livro de Jó, parte VI, do Papa Gregório, o Grande. O manuscrito de aproximadamente 300 páginas foi quase todo escrito pelo escriba anglo-saxônico Peregrinus (“Estrangeiro”), que nos conta num colofão explicativo (no fólio 146, verso), tanto o seu nome como o fato de ter trabalhado no escritório monástico em Frisinga (Baviera) sob ordens do bispo Arbeo, o fundador da biblioteca da catedral e bispo de Frisinga de 764 a 783. Outros escribas de Frisinga contribuíram com passagens em escrita minúscula carolíngia apenas em algumas páginas. A primeira página (fólio 1, verso) é decorada com uma margem arquitetônica, feita com quatro arcadas sustentadas por pilares coloridos com capitéis e bases escalonados, comumente vistos em catálogos canônicos. Em cada um dos espaços abaixo das duas primeiras arcadas à esquerda vemos um animal olhando para trás. O texto começa no reto da folha 2 com um grande “S” inicial insular (da palavra sancti), entrelaçado e com cabeças de animais no final. O ex libris de Frisinga na margem superior, “Iste liber est sanctae Marie et sancti Corbiniani Frisinge” (Este é o livro da Santa Maria e de São Corbiniano, Frisinga) data do século XII. O livro permaneceu na biblioteca da catedral de Frisinga por mais de um milênio antes de ser transferido para a biblioteca da corte de Munique, a antecessora da Biblioteca Estatal da Baviera, em 1803.

Última Atualização: 17 de outubro de 2017