Ladainha decrépita (Para ser cantada em dias chuvosos, enquanto se aperta o nariz com dois dedos)

Descrição

Aqui apresentamos um desenho satírico de um barco chamado Quistione Italiana (Problema italiano), navegando no “Mar da Conferência” e transportando o primeiro-ministro italiano Vittorio Emanuele Orlando, o primeiro-ministro britânico David Lloyd George, o Presidente Woodrow Wilson, dos Estados Unidos, e o primeiro-ministro francês Georges Clemenceau, conhecidos como Os Quatro Grandes da Conferência de Paz de Paris de 1919. No leme, Orlando implora para que os outros acordem. O camaroteiro no mastro simboliza os “Eslavos Estúpidos” e aponta para Fiume, o porto adriático reivindicado tanto pela Itália quanto pelo recém-estabelecido Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos. Abaixo da imagem vemos a letra de uma canção de ninar: “Era uma vez um pequeno navio / Era uma vez um pequeno navio / Era uma vez um pequeno navio / Que não podia, não podia mais navegar. / 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 semanas se passaram... / 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14 semanas se passaram... / 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21 semanas se passaram ... / E até o mar estava começando a... secar”. Uma anotação abaixo da canção sugere que os versos podiam ser repetidos à vontade, dependendo da resistência do cantor, e sempre segurando o nariz. O pôster e a letra refletem a frustração e a indignação nacionais sentidas na Itália durante a primavera de 1919, quando ficou claro para os italianos que não seria possível conseguir o território ao longo do mar Adriático como resultado de sacrifícios na Primeira Guerra Mundial. Essa situação foi explorada pelos crescentes movimentos nacionalistas na Itália com discursos sobre uma “vitória aleijada” e, por fim, culminada na captura de Fiume em 12 de setembro de 1919 por uma tropa de soldados irregulares italianos liderados pelo escritor nacionalista Gabriele D’Annunzio (de 1863 a 1938).

Última Atualização: 14 de novembro de 2017