As Crônicas de São Fernando III

Descrição

Coronica del sancto rey don Fernando tercero deste nombre que gano a Seuilla y a Cordoua y a Iaen y a toda el Andaluzia, cuyo cuerpo esta en la santa iglesia de Seuilla (As crônicas de São Fernando III, que conquistou Sevilha, Córdoba, Jaén e toda a Andaluzia, e cujo corpo repousa na Santa Igreja em Sevilha) foi impresso em Sevilha em 1516 por Jacobo Cromberger. Desde seu início foi uma obra muito popular. Acredita-se existirem apenas duas cópias: uma em perfeito estado, preservada na biblioteca da Universidade Complutense, que apresentamos aqui; e uma com um frontispício ausente, que pertence à Sociedade Hispânica de Nova York. O livro segue formalmente o antigo estilo típico da impressão espanhola do início do século XVI. No entanto, sua tipografia é uma das mais perfeitas já produzidas na Espanha naquela época. A primeira página, logo acima do título, mostra uma xilogravura de São Fernando III, rei de Leão e Castela, no trono e diante dele dois cavaleiros e dois clérigos, dos quais um apresenta o livro a um dos cavaleiros. O livro é ilustrado com impressões xilográficas que podem ser atribuídas a um período entre as iconografias renascentistas e medievais. De um total de 27 impressões, apenas sete delas são originais. As outras são ilustrações produzidas para obras anteriores, principalmente romances de cavalaria. O autor não é mencionado na página de rosto, gerando muitas investigações de estudiosos nos séculos XVIII e XIX. No entanto, e como se afirma no final do capítulo 28, bem se sabe que esta obra é uma tradução de De rebus Hispaniae ligeiramente alterada por Rodrigo Jiménez de Rada (de 1170 a 1247), arcebispo de Toledo. Os últimos capítulos foram escritos com patrocínio, embora sem envolvimento direto, do rei Afonso X e seu filho Sancho IV. Naquela época, a chamada Seguimiento del Toledano (Continuação do toledano), foi adicionada à obra, com mais cinco capítulos iniciais e um resumo dos reinados de Alfonso VIII e Henrique I. Quando a narrativa foi concluída e traduzida, toda a obra passou a fazer parte da Primera Crónica General de España (Primeira crônica geral da Espanha), de onde, num período subsequente, esta obra foi extraída e recebeu o título atual. Produziu-se muitas cópias dessas crônicas, uma das quais, reverenciada quase como uma relíquia na catedral de Sevilha, atualmente desaparecida, foi a cópia restaurada pelo compilador Diego López de Cartagena, quem preparou a edição tirando a parte final do texto, que havia sido adicionada pelo arranjador. Ele também colocou mais para frente o capítulo sobre o funeral do rei Henrique I, que, por razões cronológicas, apareceu depois dos primeiros dias do reinado de São Fernando. Anteriormente, a cópia da Universidade Complutense pertencia a Rafael Floranes (de 1743 a 1801), um historiador nascido em Santander. No século XIX, a obra entrou para a biblioteca de Fernando Fernández de Velasco, pertencendo mais tarde a um de seus herdeiros, Dr. Francisco Guerra, o último proprietário antes da Complutense.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Jacobo Cromberger, Sevilha

Idioma

Título no Idioma Original

Coronica del sancto rey don Fernando tercero deste nombre q gano a Seuilla y a Cordoua y a Iaen y a toda el andaluzia. Cuyo cuerpo esta en la santa yglesia de Seuilla

Tipo de Item

Descrição Física

42 fólios

Observações

  • Código: BH FG 2035

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 30 de março de 2016