Principia

Descrição

Philosophiae naturalis principia mathematica (Princípios matemáticos da filosofia natural) é uma obra-prima de Sir Isaac Newton. A produção do tratado foi um divisor de águas na história da ciência, sendo considerada por muitos a obra científica mais importante já publicada. Quando produziu a obra, Newton (de 1642 a 1727) era professor de matemática no Trinity College, em Cambridge. Ela apresenta as bases da física e da astronomia, formuladas na linguagem de geometria pura. É uma obra dedutiva em que, a partir de muitas proposições gerais, as propriedades mecânicas são demonstradas em forma de teoremas. Seu conteúdo estabelece os fundamentos da hidrostática, hidrodinâmica e acústica, e sistematiza um método para o estudo da natureza por meios matemáticos. A obra foi escrita em latim, indicando seu público-alvo: especialistas em matemática e mecânica, astrônomos, filósofos e graduados universitários. Principia, como a obra é conhecida, consiste em três livros, precedidos por um capítulo preliminar de definições e outro que lida com axiomas ou as leis do movimento. As “definições”, oito no total, definem o vocabulário usado ao longo de todo o texto, e introduzem o conceito de espaço e tempo absolutos. O livro um, “Axiomas e as leis do movimento”, é sem dúvida a parte mais conhecida da obra. A primeira lei de Newton afirma que cada objeto continua fazendo o que estiver fazendo em seu estado de repouso ou de movimento uniforme, a menos que uma força seja exercida sobre ele. Assim, o estado de inércia se torna a primeira lei, ou o primeiro axioma. A segunda lei estabelece que a força resultante sobre um objeto é igual à taxa de variação de seu momento linear num referencial inercial. A terceira lei estabelece que todas as forças entre dois objetos existem em magnitude igual e em direção oposta. A dinâmica gravitacional como um sistema de atração recíproca se baseia nesta terceira lei. O livro dois trata do movimento dos corpos em relação à resistência e à velocidade. Nesta parte central da obra, o primeiro capítulo fala do movimento de objetos num vácuo, ou seja, o movimento de objetos que não encontram resistência. O livro três, “O sistema do mundo”, é onde são aplicados os princípios da astronomia elaborados anteriormente. Newton explora a derivação das leis da gravidade, as implicações para órbitas planetárias, a lua e os equinócios em sua relação com a teoria da gravitação, e o estudo dos cometas. Ele encerra o tratado com o texto do “Escólio Geral”, adicionado à obra da segunda edição em diante. Isso infere uma explicação racional para a existência de um ser superior e é famosa por sua declaração: “Eu não invento hipóteses”, sobre sua metodologia. Durante a vida de Newton, Principia foi publicada em três edições: a primeira em 1687, com uma tiragem de 300 a 400 cópias; seguida pela edição de 1713, revista, alterada e ampliada pelo autor; que por sua vez foi seguida pela edição de 1726, revista por Newton e editada por Henry Pemberton. A tradução para inglês de Andrew Motte só apareceu em 1729 (depois da morte de Newton). A edição francesa foi publicada em 1756, e foi traduzida pela marquesa de Châtelet, com adições do matemático Alexis-Claude Clairaut e prefácio de Voltaire.

Última Atualização: 30 de março de 2016