Afeganistão: terra antiga com meios modernos

Descrição

Afeganistão: terra antiga com meios modernos foi publicado pelo Ministério do Planejamento do Governo Real do Afeganistão em 1961 para fornecer, conforme declarado no prefácio, um “panorama da ‘Imagem Afegã’, passado e presente”. O livro retrata um Afeganistão dinâmico e em processo de modernização, cujo povo e governo estão “determinados a recuperar o tempo perdido” após um longo período, ao que dizem ter começado no início do século XIX, quando a “fortuna do país caiu em dias ruins” e “as esperanças e aspirações de seus povos se expressavam repetidamente apenas em contínuas guerras sangrentas e dispendiosas pela independência”. O livro está em inglês e em pastó, e inclui breves capítulos ricamente ilustrados sobre a geografia, a cultura, a história, os povos, o desenvolvimento social, a economia, o governo e os assuntos internacionais do país. A obra enfatiza o desenvolvimento, incluindo a construção de estradas, aeroportos, universidades, pontes e outras formas de infraestrutura, bem como a educação e o treinamento da força de trabalho. As mulheres são retratadas como ativas na sociedade e na economia, tanto como trabalhadoras quanto consumidoras. A seção sobre assuntos internacionais destaca o status do Afeganistão como membro do grupo não alinhado de nações, com fotografias mostrando o rei Mohammed Zahir Shah, o primeiro-ministro Mohammed Daoud, e o ministro de relações exteriores Sardar Mohammed Naim se reunindo com os líderes de China, Egito, Turquia, União Soviética, Estados Unidos e de outros países. O livro conclui: “O estresse e a tensão de eventos históricos forjaram o povo do Afeganistão numa massa unida com o único propósito de eliminar as deficiências do presente herdadas do passado. Com um otimismo cauteloso o Afeganistão olha para o seu futuro com confiança”.

Última Atualização: 23 de março de 2017