O coração de um continente: narrativa de viagens na Manchúria, pelo deserto de Gobi, através das montanhas do Himalaia, de Pamir e de Chitral, de 1884 a 1894

Descrição

Francis Younghusband foi um explorador e soldado mais conhecido por liderar em 1903 e 1904 a controversa missão militar britânica a Lhasa, no Tibet. Em 1886 Younghusband foi liberado de seu posto militar na Índia Britânica para acompanhar o explorador H. E. M. James numa viagem de sete meses ao redor da Manchúria. Após concluir essa expedição, em março de 1887 Younghusband recebeu permissão para realizar uma viagem por terra de Pequim (Beijing) até a Índia. Viajando apenas com guias contratados, Younghusband cruzou o deserto de Gobi até chegar a Hami (na China), e de lá seguiu para as montanhas do Himalaia por Kashgar (atual Kashi, na China), e pelo Passo Muztagh até Caxemira. Ele chegou a Srinagar em 2 de novembro e ao seu posto em Rawalpindi em 4 de novembro, exatamente sete meses após deixar Pequim. Younghusand registrou essa viagem nos oito primeiros capítulos de seu livro O coração de um continente. Entre 1890 e 1891 Younghusband realizou viagens adicionais às Montanhas Pamir (principalmente no atual Tadjiquistão, com partes no Afeganistão, na China e no Quirguistão) e a cordilheira Caracórum, o corredor não reivindicado entre o Afeganistão e a China. Ele e seus superiores no governo indiano suspeitaram que os russos talvez estivessem procurando uma rota de invasão para a Índia através dessas montanhas, e um dos objetivos das viagens era buscar sinais de atividades russas. Younghusband fala sobre essas expedições nos últimos capítulos do livro. A obra fornece descrições de paisagens espetaculares e de vários povos, como chineses, calmucos (calmuques), quirguizes, tadjiques, hunzas e outros povos que Younghusband encontrou durante as viagens. Ele também relata vários encontros com grupos de reconhecimento russos, incluindo um encontro nas montanhas Pamir em agosto de 1891 com um destacamento russo de mais de 30 soldados cossacos, que resultou num confronto diplomático entre Grã-Bretanha e Rússia. Após um inicial encontro amigável, o oficial de estado-maior russo no comando do grupo, coronel Yonoff, afirmou que Younghusband estava em território reivindicado pela Rússia e que como intruso britânico deveria ser escoltado até a fronteira da China. Esse evento resultou num protesto diplomático da embaixada britânica em São Petersburgo, e no pedido de desculpas pelo governo russo e no reconhecimento de que Yonoff estava operando fora da esfera de influência russa. O livro contém ilustrações e vários mapas, incluindo um grande mapa desdobrável intitulado “Mapa da fronteira norte da Índia”. Amplamente elogiado por suas explorações, em 1890 Younghusband foi eleito o membro mais jovem da Sociedade Geográfica Real e em 1891 nomeado Companheiro do Império Indiano (CIE).

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

J. Murray, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

The heart of a continent: a narrative of travels in Manchuria, across the Gobi desert, through the Himalayas, the Pamirs, and Chitral, 1884-1894

Tipo de Item

Descrição Física

409 páginas: ilustrações, retratos, mapas; 24 centímetros

Referências

  1. David Matless, “Younghusband, Sir Francis Edward (1863‒1942),” in Oxford Dictionary of National Biography (Oxford, U.K.: Oxford University Press, 2004).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de agosto de 2016