Refutação dos materialistas

Descrição

Jamal al-Din al-Afghani (1838 a 1897) foi um pensador, ativista político e jornalista pan-islâmico que buscou restaurar a ideia islâmica e libertar o mundo muçulmano da influência ocidental. Muitos aspectos da sua vida e do seu histórico permanecem desconhecidos ou controversos, incluindo sua terra natal, sua filiação religiosa e a causa de sua morte. Ele provavelmente nasceu em Asadabad, perto da atual cidade de Hamadan, no Irã. Sua história mais conhecida começa a partir de seus 18 anos, com uma estadia de um ano na Índia que coincidiu com a Rebelião dos Sipais de 1857 a 1859. No que se tornaria uma vida de viagens constantes, al-Afghani logo foi a Meca para realizar o hajj, antes de retornar ao Afeganistão para servir o exército de Dost Mohammad Khan (1793 a 1863), governante do país. Em seguida al-Afghani ficou do lado de Mohammad Aʻzam, um dos filhos de Dost e que acabou perdendo o poder para seu irmão Sher Ali, que tinha o apoio dos britânicos. Com o tempo, o ativismo político de al-Afghani o levou a Paris, Londres, Teerã, São Petersburgo e Constantinopla. Foi durante sua segunda estadia no Egito (1871 a 1879) que ele consolidou seu papel como reformador. Al-Afghani encontrou em Cairo uma classe de jovens intelectuais que se juntou a ele, fundou jornais e usou esses jornais para disseminar suas ideias. Entre seus discípulos egípcios mais importantes estavam o estudioso Muhammad ‘Abduh, o jornalista ʻAbd Allah al-Nadim e os políticos nacionalistas Mustafa Kamil e Saʻd Zaghlul. A influência de Al-Afghani tanto no pensamento islâmico tradicionalista como no modernista continua até hoje. Al-Afghani foi um ativista que tentou realizar mudanças através do jornalismo político e do discurso público, não escrevendo muitos livros. Este tratado, intitulado al-Radd ʻalā al-dahrīyīn (Refutação dos materialistas), foi uma resposta às opiniões do pró-britânico Sir Sayyid Ahmad Khan, que havia argumentado que na ascensão das civilizações a ciência é mais importante que a religião. Originalmente escrito em persa logo após o exílio de al-Afghani do Egito para a Índia, o tratado foi traduzido para o árabe por seu aluno Muhammad ʻAbduh, com ajuda de Arif Efendi, assistente de al-Afghani.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

الرد على الدهريين

Tipo de Item

Descrição Física

70 páginas; 25 centímetros

Referências

  1. N.R. Keddie, “Afgani, Jamal-al-din,” in Encyclopædia Iranica 1, number 5 (New York: Bibliotheca Iranica Press, 1985). http://www.iranicaonline.org/articles/afgani-jamal-al-din.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de agosto de 2016