Pan-islamismo

Descrição

George Wyman Bury (de 1874 a 1920) foi um naturalista e explorador britânico que passou 25 anos em diferentes partes do mundo árabe, incluindo Marrocos, Áden, Somália e Egito. Ele escreveu vários livros, incluindo A terra de Uz, sobre a Península Arábica, publicado em 1911 sob o pseudônimo Abdullah Mansur, e Arabia Infelix, ou, Os Turcos no Iêmen, publicado em 1915. Durante a Primeira Guerra Mundial, Bury serviu com a inteligência britânica no Egito, onde foi acusado de se opor à propaganda pan-islâmica turca e alemã (e aos seus infiltrados), que visava despertar um sentimento de revolta popular contra os britânicos e induzir as tropas muçulmanas comandadas pelos britânicos ao deserto. Pan-islamismo se baseia em parte nas experiências de Bury durante a guerra, e foi escrito quando ele estava morrendo de uma doença pulmonar. Ele escreve que o pan-islamismo “é um movimento com objetivo de unir os muçulmanos em todo o mundo, independentemente da nacionalidade”, e que é “o protesto prático dos muçulmanos contra a exploração de seus recursos espirituais e materiais por estrangeiros”. Apesar de reconhecer essas causas tribais, Bury argumenta que o crescimento do pan-islamismo como movimento político no período antes e durante a Primeira Guerra Mundial foi em grande medida produto do apoio político, financeiro e logístico da Alemanha, apoiada pela Turquia Otomana após sua entrada na guerra do lado alemão. Ele afirma que a tentativa alemã de usar o pan-islamismo como arma política foi muito mal sucedida, devido à animosidade entre turcos e árabes e a falta de “sutileza psicológica” por parte dos alemães. Bury conclui com um “Apelo por tolerância”, onde pede que Europa e Estados Unidos busquem compreender melhor o mundo islâmico. O livro inclui um mapa desdobrável que mostra as áreas do mundo islâmico.

Última Atualização: 14 de novembro de 2017