Diário dos desastres no Afeganistão, de 1841 a 1842

Descrição

Lady Florentia Wynch Sale (de 1790 a 1853) era esposa de Sir Robert Henry Sale (de 1782 a 1845), um oficial do exército britânico que serviu na Índia e na Birmânia, e participou da infeliz invasão anglo-indiana no Afeganistão que desencadeou a Primeira Guerra Anglo-Afegã (de 1839 a 1842). O objetivo da invasão era destronar o emir do Afeganistão, Dost Mohammad Khan, e substituí-lo por Shah Shuja‘, um ex-governante considerado mais pró-britânico. A tropa anglo-indiana que entrou no país superou rapidamente a resistência e ocupou Cabul e outras cidades importantes. Acreditando que os afegãos haviam sido pacificados, Sale, assim como outros oficiais britânicos e autoridades civis, mandou buscar sua esposa para se juntar a ele, primeiro em Jalalabad e depois em Cabul. Depois de um violento motim iniciado em 2 de novembro de 1841, os governos britânico e afegão firmaram um tratado em que os ocupantes anglo-indianos concordavam em evacuar o país e receberiam passagem segura durante seu retorno à Índia Britânica. O novo emir, Akbar Khan (de 1816 a 1845, no poder de 1842 a 1845), filho de Dost Muhammad, não respeitou os termos do tratado, e em janeiro de 1842 Lady Sale e sua filha, Alexandrina, foram capturadas como reféns, além de oficiais e soldados britânicos e outras mulheres e crianças. No total foram feitos 63 reféns, vários dos quais morreram em cativeiro. Depois de nove meses os reféns foram finalmente libertados, após subornarem o carcereiro afegão com uma grande quantia em dinheiro. Lady Sale, ferida na primeira luta e com uma bala em seu pulso, conseguiu carregar o diário que havia começado a escrever em setembro de 1841 em Cabul, realizando frequentes registros até a sua libertação em setembro do ano seguinte. Além da obra Operações militares em Cabul, encerradas com a retirada e o extermínio do exército britânico em janeiro de 1842, do tenente Vincent Eyre, o Diário dos desastres no Afeganistão, de 1841 a 1842, de Lady Sale, é um dos dois relatos em primeira mão do tormento vivido pelos reféns britânicos. Ambos os livros foram publicados em Londres em 1843. A autora relata as dificuldades enfrentadas pelos presos, os encontros tanto com afegãos amigáveis quanto hostis, as batalhas que ela testemunhou, e as negociações para libertar os prisioneiros. O livro contém um glossário de “Palavras persas, hindustâni [hindi] e outras orientais” usadas no texto e um plano desdobrável dos acantonamentos em torno de Cabul. O apêndice contém o texto do tratado entre as autoridades britânicas e afegãs, assinado em 11 de dezembro de 1841, referente à evacuação e à passagem segura. Após a publicação de seu diário, Lady Sale foi amplamente aclamada como heroína na Grã-Bretanha.

Última Atualização: 27 de julho de 2016