Tratado sobre a poesia árabe

Descrição

Tratado de la Poesía Arabe (Tratado sobre a poesia árabe) é uma obra de Emilio Álvarez Sanz y Tubau, um tradutor e intérprete que foi contratado pela alta comissão que exercia autoridade administrativa no protetorado de Marrocos Espanhol. Durante sua juventude, Alvarez Sanz viveu em Tânger, onde foi reconhecido como ilustre estudante de árabe. Mais tarde aperfeiçoou seu conhecimento da lei muçulmana e da língua árabe no seminário universitário da Ordem Maronita em Beirute. Em junho de 1912 foi certificado como tradutor e intérprete, dando-lhe condições de buscar uma carreira no departamento de relações externas espanhol. Tratado de la Poesía Arabe foi publicado em Tétouan em 1919 e dedicado pelo autor ao príncipe Mulay al-Mahdi Bin Ismail. O livro começa com um relato geral das origens e da história da poesia árabe. Alvarez Sanz apresenta a evolução da poesia árabe começando pela prosa original de rima simples e pelos rayes (poemas que cada dois versos se rimam), até as elevadas formas de poesia clássica em quatro períodos distintos: Yahilium (pré-islamismo); Mujdramun (primeiro período ou islâmico); Mualidun (segundo período após o islã); e Muhadazun (terceiro período até sua própria época). Ele descreve a importância de zocos (feiras de poesia realizadas em diferentes épocas do ano, como Ukaz); explora por que a poesia recitada ou cantada é preferida à forma escrita; e discute o amor como um motivo constante na poesia árabe. O livro está dividido em cinco partes: 1. composição dos versos e arte métrica (com 16 formas apresentadas); 2. métricas modernas (nove formas); 3. folclore ou músicas e cantos populares; 4. enigmas e logogrifos (Composições poéticas especiais feitas com palavras complexas ou sentenças entrelaçadas); e 5. uma seleção de exemplos de “poesia oriental”, com poemas completos que mostram o virtuosismo dos artistas árabes.

Última Atualização: 17 de março de 2016