Senador Charles Sumner, de Massachusetts

Descrição

Charles Sumner (1811 a 1874) foi eleito para o Senado americano em 1851 como membro do Partido do Solo Livre, que ajudou a fundar, em oposição à extensão da escravidão para os novos territórios americanos adquiridos. Orador contumaz, Summer promoveu incansáveis campanhas pela abolição da escravidão. Tornou-se particularmente famoso em maio de 1856, quando foi agredido na sessão plenária do Senado pelo congressista Preston Brooks, da Carolina do Sul, cujo primo, Senador Andrew P. Butler da Carolina do Sul, havia sido criticado por Sumner quanto aos esforços sulistas de estenderem a escravidão para o território do Kansas. Summer levou anos para se recuperar dos golpes que recebeu de Brooks. Summer permaneceu no Senado após a Guerra Civil. Durante o período de Reconstrução, ele favoreceu uma política rigorosa em relação ao Sul e fez campanha para a implementação da igualdade e direitos civis totais para os escravos emancipados. A imagem é de um álbum fotográfico, em sua maioria do período da Guerra Civil, registrado pelo famoso fotógrafo americano Matthew Brady (por volta de 1823 a 1896), que pertenceu ao Imperador Pedro II do Brasil (1825 a 1891), um colecionador de fotografias e ele próprio um fotógrafo. O álbum foi um presente dado ao imperador por Edward Anthony (1818 a 1888), um dos primeiros fotógrafos americanos que, em parceria com seu irmão, tornou-se proprietário de uma empresa líder de vendas de materiais fotográficos nos Estados Unidos na década de 1850. Dom Pedro II pode ter adquirido o álbum durante uma viagem aos Estados Unidos em 1876, quando inaugurou a Exposição Centenária da Filadélfia ao lado do presidente americano Ulysses S. Grant. Brady nasceu no norte de Nova York e era filho de imigrantes vindos da Irlanda. Muito conhecido por fotografias que documentam as batalhas da Guerra Civil Americana, ele iniciou a carreira em 1844, quando abriu um estúdio de retratos de daguerreótipo na esquina da Broadway Street com a Fulton Street, na cidade de Nova York. No decurso das décadas seguintes, Brady produziu retratos das principais figuras públicas americanas, muitos dos quais foram publicados como gravuras em revistas e jornais. Em 1858, ele abriu uma filial em Washington, DC. O álbum, que também contém um pequeno número de impressões não fotográficas, faz parte da Coleção D. Thereza Christina Maria, da Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção é composta por 21.742 fotografias reunidas pelo imperador Dom Pedro II ao longo de sua vida, e doadas por ele à Biblioteca Nacional. A coleção também abrange uma grande variedade de assuntos, documentando as conquistas do Brasil e dos brasileiros no século XIX e incluindo muitas fotografias da Europa, África e América do Norte.

Última Atualização: 22 de março de 2016