História de Seyd Said, sultão de Mascate

Descrição

História de Seyd Said, sultão de Mascate é o relato do viajante italiano Vincenzo Maurizi de sua residência no Sultanato de Omã, no início do século XIX. Divertido e informativo, o relato de Maurizi é reconhecido como o primeiro livro europeu inteiramente dedicado a Omã. Usando os escritos de Carsten Niebuhr (de 1733 a 1815) para dar o fundo histórico, o autor baseia sua narrativa em observações feitas em Omã de 1809 a 1814. Maurizi afirma que trabalhou como médico para o governante Saʻid bin Sultan (no poder de 1807 a 1856), que tomou o poder num golpe interno. O reinado de Sa‘id conseguiu manter uma estabilidade dinástica interna, mas foi marcada por ameaças externas vindas de Najd, região árabe de onde os wahhabistas, seguidores de Muhammad ibn ‘Abd al-Wahhab (falecido em 1826 ou 1827), surgiram para espalhar sua severa interpretação do islã. Maurizi tinha acesso a muitos dignitários da corte, incluindo o embaixador da seita wahhabista, a quem entrevistou sobre suas crenças quando esteve em Mascate. Ele descreve a política do país e os confrontos armados com as forças wahhabistas nos quais, como oficial das forças de Sayyid Sa‘id, ele participou. Maurizi conhecia bem o país fora da capital, Mascate, e realizou notas etnográficas, “extraídas de minha própria pesquisa particular, ou na falta dela, das melhores autoridades ainda existentes que estavam em meu poder adquirir”. Omã também enfrentou invasões de regiões vizinhas governadas por xeques. O apelido de Maurizi na corte era “Xeque Mansur” ou “vitorioso”, uma tradução direta do seu primeiro nome italiano. Ele também ganhou o apelido sarcástico Abu Midfa‘ (pai de cânones), depois que um navio comandado por ele acidentalmente abriu fogo contra forças aliadas, matando vários homens. Em seu relato sobre a vida de Maurizi, o estudioso britânico Robin Bidwell especula que Maurizi talvez tenha trabalhado como espião para os franceses, transmitindo informações sobre a aliança de Omã com a Companhia Britânica das Índias Orientais e as complexas rivalidades na Península Arábica e na região do Golfo Pérsico. Maurizi escreve sobre si mesmo como sendo um “diplomata artificial”. Não se sabe quem traduziu a obra do italiano para ser publicada em 1819 por John Booth, em Londres.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

J. Booth, Londres

Idioma

Título no Idioma Original

History of Seyd Said, Sultan of Muscat

Tipo de Item

Descrição Física

174 páginas: tabelas, mapas; 25 centímetros

Referências

  1. Robin Bidwell, “Bibliographical Notes on European Accounts of Muscat 1500‒1900,” Arabian Studies IV, 1978.
  2. Vincenzo Maurizi, History of Seyd Said, Sultan of Muscat, with a new introduction by Robin Bidwell (Cambridge, U.K. and New York: Oleander Press, 1984).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 17 de março de 2016