Mary Todd Lincoln

Descrição

Mary Todd Lincoln (1818 a 1882) foi esposa do presidente Abraham Lincoln e primeira-dama dos Estados Unidos durante a Guerra Civil. Nasceu em uma família grande e influente do Kentucky e se mudou para Springfield, Illinois, em 1837, local em que conheceu Lincoln. Já como primeira-dama, Mary Lincoln reformou a Casa Branca, montou um salão para que figuras políticas e literárias pudessem se reunir, cuidou de soldados feridos em hospitais e arrecadou recursos para ex-escravos pobres que chegavam massivamente em Washington. Ela ajudou a definir o papel da primeira-dama moderna, sendo imitada por suas sucessoras de diversas maneiras. Ela e Lincoln tiveram quatro filhos: Robert Todd (1843 a 1926), Edward Baker (1846 a 1850), William Wallace (1850 a 1862) e Thomas “Tad” (1853 a 1871), três dos quais morreram antes de Mary. A morte de William (“Willie”), que morreu de febre tifoide durante o segundo ano do primeiro mandato de Lincoln, afetou-a duramente. Mary estava ao lado de Lincoln quando ele foi assassinado no Teatro Ford na noite do dia 14 de abril de 1865. Como viúva, Mary Lincoln buscou ajuda de espiritualistas que, esperava, pudessem ajudá-la a se comunicar com seus filhos e, em 1875, foi internada em um asilo psiquiátrico por iniciativa de seu filho Robert. Com a ajuda de uma das primeiras advogadas dos Estados Unidos, Myra Bradwell, ela ganhou a liberdade e viveu a maior parte de sua vida na França. A imagem é de um álbum fotográfico, em sua maioria do período da Guerra Civil, registrado pelo famoso fotógrafo americano Matthew Brady (por volta de 1823 a 1896), que pertenceu ao Imperador Pedro II do Brasil (1825 a 1891), um colecionador de fotografias e ele próprio um fotógrafo. O álbum foi um presente dado ao imperador por Edward Anthony (1818 a 1888), um dos primeiros fotógrafos americanos que, em parceria com seu irmão, tornou-se proprietário de uma empresa líder de vendas de materiais fotográficos nos Estados Unidos na década de 1850. Dom Pedro II pode ter adquirido o álbum durante uma viagem aos Estados Unidos em 1876, quando inaugurou a Exposição Centenária da Filadélfia ao lado do presidente americano Ulysses S. Grant. Brady nasceu no norte de Nova York e era filho de imigrantes vindos da Irlanda. Muito conhecido por fotografias que documentam as batalhas da Guerra Civil Americana, ele iniciou a carreira em 1844, quando abriu um estúdio de retratos de daguerreótipo na esquina da Broadway Street com a Fulton Street, na cidade de Nova York. No decurso das décadas seguintes, Brady produziu retratos das principais figuras públicas americanas, muitos dos quais foram publicados como gravuras em revistas e jornais. Em 1858, ele abriu uma filial em Washington, DC. O álbum, que também contém um pequeno número de impressões não fotográficas, faz parte da Coleção D. Thereza Christina Maria, da Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção é composta por 21.742 fotografias reunidas pelo imperador Dom Pedro II ao longo de sua vida, e doadas por ele à Biblioteca Nacional. A coleção também abrange uma grande variedade de assuntos, documentando as conquistas do Brasil e dos brasileiros no século XIX e incluindo muitas fotografias da Europa, África e América do Norte.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Edward Anthony, Nova York

Tipo de Item

Descrição Física

1 impressão fotográfica: carte-de-visite, papel albumina; 8,6 x 5,4 centímetros

Referências

  1. Jean H. Baker, "Lincoln, Mary Todd," in American National Biography (New York: Oxford University Press, 1999).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 11 de abril de 2017