Secretário de Guerra John B. Floyd

Descrição

John Buchanan Floyd (1806 a 1863) foi General Confederado na Guerra Civil Americana. Nascido em uma plantação próxima a Blacksburg, Virginia, estudou Direito na faculdade da Carolina do Sul e foi aprovado na Ordem em Virgínia. Foi governador da Virgínia de 1849 a 1852 e, como democrata, lutou pelos direitos dos estados e da Lei do Escravo Fugitivo de 1850. Em 1857, foi nomeado Secretário de Guerra pelo Presidente James Buchanan, mas demitiu-se durante a crise de secessão de 1860. Com a eclosão da Guerra Civil, Floyd foi indicado como general de brigada e recebeu o comando do Exército do Kanawha na Virgínia ocidental. Em dezembro de 1861, foi transferido para Fort Donelson, onde chegou em 13 de fevereiro de 1862, junto do exército e forças navais de Ulysses S. Grant e Andrew de Hull Foote que foram atacadas. Após três dias de luta contra o comando confederado, concordou em se render. Em vez de ser levado como prisioneiro, Floyd renunciou o comando e fugiu com suas tropas para Nashville, Tennessee, o que fez o Presidente Jefferson Davis retirá-lo do comando. Floyd faleceu em 1863. A imagem é de um álbum fotográfico, em sua maioria do período da Guerra Civil, registrado pelo famoso fotógrafo americano Matthew Brady (por volta de 1823 a 1896), que pertenceu ao Imperador Pedro II do Brasil (1825 a 1891), um colecionador de fotografias e ele próprio um fotógrafo. O álbum foi um presente dado ao imperador por Edward Anthony (1818 a 1888), um dos primeiros fotógrafos americanos que, em parceria com seu irmão, tornou-se proprietário de uma empresa líder de vendas de materiais fotográficos nos Estados Unidos na década de 1850. Dom Pedro II pode ter adquirido o álbum durante uma viagem aos Estados Unidos em 1876, quando inaugurou a Exposição Centenária da Filadélfia ao lado do presidente americano Ulysses S. Grant. Brady nasceu no norte de Nova York e era filho de imigrantes vindos da Irlanda. Muito conhecido por fotografias que documentam as batalhas da Guerra Civil Americana, ele iniciou a carreira em 1844, quando abriu um estúdio de retratos de daguerreótipo na esquina da Broadway Street com a Fulton Street, na cidade de Nova York. No decurso das décadas seguintes, Brady produziu retratos das principais figuras públicas americanas, muitos dos quais foram publicados como gravuras em revistas e jornais. Em 1858, ele abriu uma filial em Washington, DC. O álbum, que também contém um pequeno número de impressões não fotográficas, faz parte da Coleção D. Thereza Christina Maria, da Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção é composta por 21.742 fotografias reunidas pelo imperador Dom Pedro II ao longo de sua vida, e doadas por ele à Biblioteca Nacional. A coleção também abrange uma grande variedade de assuntos, documentando as conquistas do Brasil e dos brasileiros no século XIX e incluindo muitas fotografias da Europa, África e América do Norte.

Última Atualização: 11 de abril de 2017