Dhows do Oceano Índico: Disputas sobre Zanzibar e Mascate

Descrição

Les boutriers de la Mer des Indes, affaires de Zanzibar et Mascate (Os dhows do Oceano Índico: Disputas sobre Zanzibar e Mascate) é uma história diplomática do confronto no século XIX entre a França e a Grã-Bretanha envolvendo esses dois territórios. O objetivo da Grã-Bretanha era preservar a segurança marítima no Oceano Índico, enquanto a França tentava manter seus poucos postos avançados de comércio e sua influência diplomática em Mascate, Zanzibar e na costa leste africana. O autor, Charles Brunet, acreditava que a posição francesa foi condenada por causa da “covardia e tolice” do governo francês diante da intimidação britânica. Brunet era um homem letrado e uma figura política na província ultramarina francesa de Reunião. Esta obra é sua tese de doutorado. Brunet começa com uma introdução histórica e uma representação romântica do comércio tradicional dos dhows de dois mastros e uma discussão sobre a destreza de seus capitães omanianos. Auxiliado por um acervo de textos disponíveis, ele então prossegue para o âmago de sua pesquisa e traça com detalhes precisos o progresso da aquisição territorial britânica à custa dos franceses e de seus aliados omanianos e africanos. Autoridades francesas na região tentaram conter a expansão da influência britânica através de uma série de medidas que regulavam o comércio por meio de dhows. Os britânicos desafiaram esses atos usando o controle da escravidão como pretexto para aumentar seu domínio nos mares. O autor argumenta que um julgamento no Tribunal de Arbitragem em Haia, em 1905, foi em grande parte desfavorável à França porque avisos feitos por oficiais franceses na região não foram levados a sério, e como consequência da falta de conhecimento e frequente estupidez mostrada pelos ministros franceses, da ignorância dos negociadores, do silêncio da imprensa e da indiferença do parlamento francês. Brunet conclui dizendo que: “nestas condições o resultado da rivalidade anglo-francesa nunca esteve em dúvida”.

Última Atualização: 29 de dezembro de 2015