Tratado sobre o direito muçulmano, intitulado, “O rio transbordante da ciência da herança e do patrimônio”, com uma exposição dos “Direitos das mulheres e leis do matrimônio”

Descrição

Tratado sobre o direito muçulmano contém duas obras, Al-Nahr al-fa’id fi ‘ilm al-fara’id (O rio transbordante da ciência da herança e do patrimônio), e Al-Idah fi huquq al-nisa’ wa ahkam al-nikah (Direitos das mulheres e leis do matrimônio). Escrito em inglês e em árabe, é um livro sobre a lei islâmica para juízes e advogados nos tribunais de Áden. Importante território estratégico na Península Arábica, Áden se tornou propriedade britânica em 1839. A etnia da população era mista, com predominância de árabes muçulmanos. A política administrativa britânica buscava permitir que cada comunidade decidisse disputas de acordo com suas próprias leis. Assim, os juízes, que eram britânicos, precisavam de orientações sobre assuntos complexos de herança e casamento de acordo com a jurisprudência islâmica. O Tratado foi escrito para sanar essa necessidade. O autor, qadi (juiz) ‘Abd al-Qadir ibn Muhammad al-Naqshbandi, também conhecido como al-Makki ou al-Makkawi, apresentou o tema em conformidade às escolas de direito hanafitas e shafi‘i, satisfazendo as exigências de muçulmanos tanto de origem árabe quanto indiana. Pouco se conhece sobre o autor. Com base em seus nomes podemos supor que ele ou seus antepassados eram de Meca, e que ele era um adepto da fraternidade sufi Naqshbandi. Ele é chamado de “juiz”, mas seu papel no sistema judicial foi de professor e conselheiro. Na introdução, o autor escreve que ele, seu filho e seu irmão ensinaram árabe aos juízes britânicos e forneceram-lhes base para a lei islâmica do status pessoal, como quando defende a poligamia. Seu Tratado talvez tenha encontrado aceitação nos tribunais de Áden devido à clareza de sua apresentação, mas provavelmente ficou atrás de Minhāj al-tālin (O método), escrito por al-Nawawi (de 1233 a 1277), um manual de lei de herança shafi‘i. A primeira parte desta obra foi publicada em 1886. Na edição de 1899, que apresentamos aqui, o primeiro texto foi revisto e ampliado, e a segunda metade do livro, “Direitos das mulheres e leis do matrimônio”, foi publicada pela primeira vez. Há também uma edição egípcia, e uma tradução alemã, feita pelo explorador Leo Hirsch, publicada em Leipzig em 1891 com o texto original em árabe. A tradução alemã também é apresentada na Biblioteca Digital Mundial.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Hajee Abadee Hasan, Áden

Título no Idioma Original

النهر الفائض في علم االفرائض والإيضاح في حقوق النساء وأحكام النكاح

Tipo de Item

Descrição Física

308 páginas; 18 centímetros

Referências

  1. Suzanne Dahlgren, Contesting Realities: Public Sphere and Morality in Southern Yemen (Ithaca, NY: Syracuse University Press, 2010).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de outubro de 2015