Ilustração alemã da “liberdade dos mares” em tempo de guerra

Descrição

A liberdade dos mares foi uma questão muito controversa durante a Primeira Guerra Mundial. A Grã-Bretanha, que gozava de superioridade marítima sobre a Alemanha, usou sua marinha para bloquear o transporte de mercadorias militares e industriais para os alemães, inclusive por meio de portos na Dinamarca, Suécia, Holanda e em outros países neutros por onde as cargas poderiam transbordar para o território alemão. A Alemanha protestou o bloqueio britânico e procurou se posicionar como um herói da liberdade dos mares, em parte para obter favores com os Estados Unidos e outros países neutros, que se opunham fortemente às ações britânicas contra seus navios. Os alemães também retaliaram, no entanto, declarando em 4 de fevereiro de 1915 que a partir de 18 de fevereiro eles considerariam toda a região ao redor das Ilhas Britânicas como zona de guerra e “se esforçariam para destruir cada navio mercante inimigo que encontrassem dentro dessa área”. Os cidadãos de países neutros que viajavam em navios registados em países aliados passaram a correr grande perigo por causa desta ordem. Isso foi visto de forma mais dramática no dia 7 de maio de 1915, quando um submarino alemão torpedeou o navio de passageiros britânico Lusitania ao longo da costa da Irlanda, matando 1.198 pessoas, 128 das quais eram americanas. Este mapa, cortado de um jornal americano ou britânico não identificado de 1915, foi feito como forma de uma rejeição sarcástica em relação às reivindicações da Alemanha para defender a liberdade dos mares. Ele mostra as 20 milhas náuticas (37 quilômetros) ao longo dos litorais da Europa Ocidental onde minas submarinas alemãs seriam espalhadas e uma grande área delimitada dos mares ao redor das Ilhas Britânicas, onde a frota mercante dos aliados estava sujeita a ataques. O mapa também mostra uma rota de 60 milhas náuticas (111 quilômetros) de extensão no oeste do Mar Mediterrâneo, onde a frota mercante neutra podia navegar com segurança. Com o avanço da guerra, a Alemanha minimizou cada vez mais seu compromisso com a liberdade dos mares, dando início a uma guerra submarina sem limites para tentar derrubar a Grã-Bretanha e a França. Por fim, ataques de submarinos alemães contra navios americanos tiveram grande influência na entrada dos Estados Unidos na guerra ao lado dos Aliados. A escala do mapa é de aproximadamente 1:12.000.000.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

A German Illustration of "Freedom of the Seas" in War Time

Tipo de Item

Descrição Física

1 mapa; 39 x 30 centímetros

Referências

  1. Ryan Moore, Maps of The First World War: An Illustrated Essay and List of Select Maps in The Library of Congress, Occasional Papers Series, no. 7, The Philip Lee Phillips Map Society (Washington: Library of Congress, Geography and Map Division, 2014). http://www.loc.gov/rr/geogmap/pdf/plp/occasional/OccPaper7.pdf.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 14 de novembro de 2017