Mapa que mostra o local da caça de focas por oito barcos canadenses, próximo das Ilhas Comandante, em 1892

Descrição

Este mapa mostra os locais em torno das Ilhas Comandante, dentro das fronteiras marítimas da Rússia, onde barcos canadenses caçaram focas em 1892. Surgiu uma importante controvérsia diplomática sobre a caça de focas no Mar de Bering no final do século XIX, especialmente por conta das ações dos caçadores canadenses, que capturavam focas no ambiente pelágico (em mar aberto), ferindo as focas fêmeas, e, portanto, ameaçando o número populacional como um todo. Segundo os Estados Unidos, com a compra do Alasca, em 1867, foram adquiridos da Rússia direitos de pesca exclusivos no Mar de Bering. Os americanos queriam fazer valer esses direitos para proteger seu interesse nas focas das Ilhas Pribilof. O Canadá, por sua vez, cujas relações internacionais naquele tempo ainda eram administradas pela Grã-Bretanha, argumentou que tinha o direito de caçar focas em zonas pelágicas do Mar de Bering em decorrência de acordos anteriores firmados com a Rússia. Foi convocado um tribunal de arbitragem em Paris para resolver o litígio. Em 1893, decidiu-se em favor da Grã-Bretanha. Este mapa é baseado em informações usadas pela equipe britânica para defender seus interesses no processo arbitral. Ele mostra as rotas dos barcos canadenses de caça a focas. A tabela na parte superior direita indica que 219 focas foram caçadas em um limite de 30 milhas nas Ilhas Comandante. 3.817 foram capturadas fora dessa zona, totalizando 4.036 focas.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Chart showing the locality where seals were taken adjacent to the Commander Islands in 1892 by eight Canadian sealing vessels

Tipo de Item

Descrição Física

1 mapa: colorido; 48 x 51 centímetros

Observações

  • Escala de aproximadamente 1:280.000

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 27 de janeiro de 2016