Recuperação de doenças e remédio para dores

Descrição

O nome completo do autor de Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām (Recuperação de doenças e remédio para dores), é Khidr ibn ʻAli ibn Marwan ibnʿAli ibn Husam al-Din, originalmente chamado de al-Qunawi, também conhecido como Hajji Pasha al-Aidini e al-Misri, identificando, portanto, sua proveniência de Konya, Turquia. Em sua introdução ao Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām, o autor descreve a sua prolongada estadia no Egito, onde exerceu a profissão de médico no célebre hospital Maristan al-Mansuri, bem como em outros, assim confirmando o nome al-Misri (o Egípcio). Ele também se identifica como al-Khattab (o pregador), um título pelo qual é comumente chamado em fontes islâmicas. Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām é dividido em quatro capítulos: O capítulo um é Kullīyāt juz’ay al-ṭibb aʻ ʻilmīya wa ‘amalīya (Sobre a introdução aos aspectos teóricos e práticos da medicina); o capítulo dois é al-Aghdhīya wa al-ashriba wa al-adwīya al-mufrada wa al-murakkaba (Sobre comidas, bebidas e remédios simples e compostos); o capítulo três é chamado al-Amrāḍ al-mukhtassa bi ‘uḍw ‘uḍw min al-ra’s ilā al-qadam (Sobre doenças específicas aos órgãos do corpo, da cabeça aos pés); e o capítulo quatro é al-Amrāḍ al-ʻāma allatī lā tukhtaṣ bi ‘uḍw dūn ‘uḍw (Sobre doenças não específicas aos órgãos do corpo). Cada capítulo é dividido em mais seções. O capítulo quatro, por exemplo, é formado por seções sobre febres, inchaços, feridas e outros tópicos. As obras não médicas de Hajji Pasha incluem livros sobre lógica, filosofia, exegese do Alcorão e kalam (teologia). Ele dedicou Shifāʼ al-asqām wa dawāʼ al-ālām a ʻIsa ibn Muhammad ibn Aidin, o quarto governante da casa de Aidin (no poder de 1360 a 1390). O beilhique estabelecido pelos aidinidas foi um dos vários beilhiques que surgiram na Anatólia ocidental para preencher a lacuna de poder que resultou da queda dos seljúcidas de Rum nos anos finais do século XIII. O presente manuscrito foi concluído durante a vida do autor, em 14 de Shawwāl de 788 A.H. (7 de novembro de 1386) em Selçuk, a capital da dinastia Aidin. Ele contém copiosas notas marginais em árabe e algumas em persa. Um poema curto em persa, aparentemente adicionado pelo copista, aparece bem no final da obra.

Última Atualização: 29 de dezembro de 2015