Poema sobre as causas e os sintomas da febre

Descrição

Embora o colofão desta cópia manuscrita de al-Urjūzah fī asbāb al-ḥumīyāt wa ’alāmātihā (Poema sobre as causas e os sintomas da febre) apresente como autor Abu ʻAli Husayn Ibn Sina (nascido em Bucara em 980, falecido em Hamadan em 1037; conhecido no Ocidente latino como Avicena), a verdadeira autoria permanece incerta. Em diversos casos a citação de obras médicas de Ibn Sina é duvidosa, já que muitas dessas obras comumente atribuídas ao polímata persa ainda precisam ser estudadas e autenticadas como de sua autoria. Ibn Sina foi chamado por seus sucessores no mundo islâmico como al-Shaykh al-Ra’īs (o proeminente estudioso), em razão da grande variedade de tópicos estudados e tratados por ele, mas na Europa sua fama se dá principalmente por suas obras médicas, especialmente al-Qānūn fī al-ṭibb (O Cânone da Medicina), que foi traduzido para o latim e permaneceu no currículo padrão para estudantes de medicina na Europa durante séculos. Duas das outras obras médicas de Ibn Sina foram traduzidas para o latim e também era bem conhecidas na Europa, al-Adwīya al-qalbīya (Medicação Cardíaca) e seu tratado sobre medicina al-Urjūza fī al-ṭibb (Manual Versificado sobre Medicina). Foi devido à popularidade dessas três obras que Ibn Sina se tornou conhecido no Ocidente latino como princeps medicorum, ou “príncipe dos médicos”. Al-Urjūzah fī asbāb al-ḥumīyāt wa ’alāmātihā não consta nas consagradas listas das obras de Ibn Sina, embora a palavra “al-Urjūzah apareça em seu título como al-Urjūzah fī al-ṭibb, uma forma mais certificada. Essa palavra se refere ao gênero de texto versificado (de modo geral, mas não exclusivo, escrito sobre temas médicos). Neste “Poema sobre as causas e os sintomas das febres”, a breve introdução, em que o autor agradece a Deus e oferece bênçãos ao profeta Maomé, é seguida por 24 seções, tratando temas gerais como causas de infecção e abordando doenças específicas, como febre contínua (sūnūkhus, do grego synochus), febre remitente (al-diqq), e febre recorrente ou ondulante (excepcionalmente febre alta, qūsūs). O copista registrou seu nome como Muhammad al-Tabib, (ou seja, Maomé, o Médico) e afirma ser residente de Beirute e originário da Síria (al-shām [sic] nasaban wa al-bayrūt maskanan). O manuscrito, que contém 260 versos, tem títulos rubricados e é ornamentado com uma folha de trevo que separa os hemistíquios em cada verso. Ele foi concluído “ao meio-dia, na bendita quarta-feira do 14º dia de Jumādā II do ano 1071 A.H.” (14 de fevereiro de 1661).

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

الأرجوزة في أسباب الحميات وعلاماتها

Tipo de Item

Descrição Física

8 fólios; 195 x 140 milímetros

Instituição

Referências

  1. A.Z. Iskandar, A Catalogue of Arabic Manuscripts on Medicine and Science in the Wellcome Historical Medical Library (London: Wellcome Historical Medical Library, 1967).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de dezembro de 2015