Ratificação do Senado do tratado sobre a cessão do território do Alasca

Descrição

Em respeito às cláusulas da Constituição americana referentes aos tratados, para que qualquer tratado seja ratificado e se torne lei, o Senado dos EUA é obrigado a apresentar seu parecer e seu consentimento por dois terços dos votos. Em 9 de abril de 1867, o Senado deu seu parecer e aprovou o tratado de Compra do Alasca. Aqui mostramos a notificação da ação do Senado, escrita por John W. Forney, assistente-chefe. Para proporcionar o impulso político a favor da compra, o Secretário de Estado William H. Seward contou com vários partidários dentro do Senado, entre os quais estava o proeminente senador Charles Sumner, de Massachusetts, que fez um fervoroso discurso no plenário do Senado defendendo a aquisição. Apesar de sua elevada retórica, Sumner foi em grande parte movido por cálculo político. Há anos os russos estabeleceram uma divisa que impedia o acesso estrangeiro para pesca e caça de baleias nas águas do Alasca. Baleeiros ianques buscavam ter acesso livre a novos pontos para caça nas águas do Alasca, tanto no Pacífico como no Ártico, principalmente depois de décadas de atividades intensivas de caça terem dizimado as populações de baleias em outros lugares. O centro global da caça comercial de baleias no século XIX ficava no sudeste de Massachusetts, especialmente em Nantucket e New Bedford. No Capitólio do Estado em Beacon Hill, Boston, o eleitorado a favor da caça de baleias era formidável, e influenciou Sumner e outros políticos locais a apoiarem a compra do território. As empresas de pesca da costa oeste também estavam ansiosas para obter acesso às vastas extensões do oceano perto do Alasca, e isso ganhou os votos de alguns senadores da região oeste. Subornos também se mostraram parte do processo de votação, já que o embaixador russo em Washington pagou secretamente propinas para escolher congressistas e, assim, garantir votos a favor da compra. Embora angustiado com tamanha corrupção, Seward mais tarde confessou ao presidente Andrew Johnson a influência que isso teve na decisão.

Última Atualização: 20 de novembro de 2015