Viagens no Império Mogol

Descrição

Viagens no Império Mogol é a primeira tradução respeitável para o inglês do livro Histoire de la dernière révolution des états du Grand Mogol de François Bernier, publicado em Paris em 1670 e 1671. Bernier nasceu em Joué na região de Loire, na França, e cursou medicina na Universidade de Montpellier. Ansiando conhecer o mundo, em 1654 viajou para a Síria e Palestina. Em 1656 retornou ao Oriente Médio, onde viveu por um ano em Cairo, antes de navegar para o sul pelo Mar Vermelho com o objetivo de chegar a Gondar (na atual Etiópia). Ao saber que lá as condições para viajar eram inseguras, embarcou num navio com destino ao porto de Surat, na costa oeste da Índia. Bernier permaneceu na Índia por volta de 12 anos, de 1658 a 1669. No início ele trabalhou como médico pessoal de Dara Shikoh, o filho mais velho do imperador mogol Shahjahan e sucessor designado do imperador, e mais tarde para Daneshmand Khan, um nobre na corte do imperador Aurangzeb. Bernier foi testemunha de primeira mão da sangrenta guerra civil e da luta de sucessão de 1656 a 1659, em que Aurangzeb, irmão mais novo de Dara Shikoh, tomou o trono mogol. Em 1664 Bernier viajou com Aurangzeb a Caxemira, “comumente chamada de paraíso da Índia”, tornando-se provavelmente o primeiro europeu a visitar a província. Ele escreveu várias cartas extensas a correspondentes na França, nas quais fornecia descrições detalhadas das condições econômicas e dos costumes sociais e religiosos no norte da Índia, chegando a enviar uma a Jean-Baptiste Colbert, ministro da fazenda do rei Luís XIV. Essas cartas fazem parte da obra Viagens no Império Mogol. Junto com seus compatriotas Jean Chardin (1643 a 1713) e Jean-Baptiste Tavernier (1605 a 1689), os quais conheceu durante suas viagens, Bernier representava a fonte da maior parte do conhecimento que os europeus tinham sobre a Índia no final do século XVII e início do século XVIII. Além de pensador, Bernier também era aventureiro, e seu livro está repleto de explorações sobre diversos tópicos, como por exemplo a natureza dos átomos, as Tribos Perdidas de Israel, ventos e correntes, as chuvas e o rio Nilo. A obra traz um apêndice sobre a história da viagem à Índia, e contém um prefácio do tradutor, Irving Brock, um funcionário inglês de banco mercantil com interesses literários. O livro também apresenta ilustrações de cenas e pessoas notáveis, além de três mapas desdobráveis.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016