Avanço da Ferrovia Russa na Ásia Central: Notas de uma Viagem de São Petersburgo a Samarcanda

Descrição

George Dobson (de 1850 a 1938) foi o correspondente na Rússia para a Times de Londres por mais de 25 anos. Na primavera de 1888 ele se tornou o primeiro inglês a viajar para Samarcanda pela recém-inaugurada Ferrovia da Ásia Central. Ele registrou sua viagem numa série de longas cartas publicadas na Times no outono do mesmo ano. Avanço da Ferrovia Russa na Ásia Central: Notas de uma Viagem de São Petersburgo a Samarcanda apresenta os textos dessas cartas, ampliadas e reescritas, bem como novos conteúdos. Dobson tece o relato de sua viagem com descrições detalhadas das vilas e cidades ao longo da rota e com discussões sobre terreno e clima, história e povos da região, e política e objetivos russos. O capítulo final fornece muitos detalhes interessantes sobre a ferrovia vista como façanha da engenharia, envolvendo o transporte de materiais de construção em massa pelo Mar Cáspio por navios a vapor, o transporte terrestre de materiais por camelo, e a superação de desafios como a barreira linguística e as dificuldades na comunicação com os operários autóctones recrutados, clima quente, doenças entre os operários, morte de trabalhadores por sede e insolação, ventos fortes e formações de areia, e a ameaça de ataques de saqueadores contra as equipes de construção. Esse capítulo também inclui bastante informação sobre os custos da construção e como foram financiados. O livro contém três mapas no primeiro terço do volume da obra, algumas fotografias, e um apêndice mostrando as diferentes vias ferroviárias para Samarcanda partindo de São Petersburgo e de outras cidades russas, bem como de cidades europeias como Paris, Colônia e Berlim. A rota mais rápida de Paris a Samarcanda era pegar o trem até Odessa, passando por Viena, depois de Odessa a Batumi a bordo de navio a vapor pelo Mar Negro, e por fim viajar pela ferrovia de Batumi a Baku até chegar a Samarcanda. Viagens por essa via eram realizadas em 10 dias, 10 horas e 9 minutos; outras rotas demoravam até 13 dias.

Última Atualização: 28 de agosto de 2017