A Face da Manchúria, da Coreia e do Turquestão Russo

Descrição

Este livro se baseia numa viagem de quatro meses realizada durante a primeira metade de 1910 por Emily Georgiana Kemp (de 1860 a 1939) e uma amiga pela Ferrovia Transiberiana de Harbin, na China, por toda a Manchúria, atravessando a Coreia, e de lá para o Turquestão Russo pela Transiberiana, terminando com uma viagem pelo Cáucaso. O relato apresenta descrições vívidas de Mukden, Pyongyang, Seul, Tashkent, Samarcanda, Bucara e outros lugares, com ilustrações coloridas da autora. Escrito alguns anos após o fim da Guerra Russo-Japonesa de 1904 a 1905 e no mesmo ano em que o Japão anexou a Coreia ao seu território, o livro alerta sobre futuros ataques japoneses contra a Manchúria. Kemp era de uma rica família inglesa batista. Ela foi uma das primeiras alunas em Somerville College (uma das primeiras faculdades para mulheres da Universidade de Oxford), e mais tarde estudou na Slade School of Fine Art, em Londres. Ela realizou muitas viagens e escreveu sete livros, quase todos sobre a China. Uma observadora atenta dos lugares que visitou, seus principais interesses eram atividades de missionários cristãos, status e bem-estar das mulheres e religião. Neste livro ela discute de forma bem detalhada o papel do islã na Ásia Central. Ela escreve que Bucara “há tempos é o centro da influência religiosa desde sua primeira conquista pelo islã, por volta de 709 a.C. (na invasão árabe), e que hoje ostenta uma rígida adesão ao Alcorão, superando qualquer outro lugar”, mas lamenta a condição das mulheres no canato. O livro é ilustrado com os próprios esboços de bico de pena e aquarela desenhados por Kemp, e conclui com um mapa colorido desdobrável que traça a rota da viagem.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016