Manual consagrado de cirurgia

Descrição

O compilador de Wai ke zheng zong (Manual consagrado de cirurgia) foi Chen Shigong (de 1555 a 1636) da dinastia Ming. A edição original continha quatro juan; algumas edições posteriores apresentaram 12 juan. Uma das inscrições na capa diz: “Obra do ‘Manual consagrado de cirurgia’, passada de geração em geração na família de Chen Ruoxu”. A outra inscrição diz: “Xilogravura de Jinshengju”. O proprietário da gráfica de Jinshengju era o editor Yu Yingqiu de Jianyang, Fujian, da dinastia Ming. O juan preliminar apresenta prefácios de Bai Zhengmeng, escrito em 1615, de Gu Maoxian e Fan Fengyi, escrito em 1617, e do próprio compilador. Em seu prefácio, Bai Zhengmeng explica o significado do termo zheng zong (consagrado) usado no título. Gu Maoxian, que vivia doente durante a infância, era paciente de Chen, tendo assim uma experiência pessoal com a eficácia dos tratamentos de Chen, que menciona em seu prefácio. Fan Fengyi elogia o “toque mágico, com a mente e as mãos em harmonia” de Chen. Chen Shigong, nome de cortesia Yuren, nome do estilo Ruoxu, era natural de Chongchuan (parte da atual Nantong, Jiangsu). Assim como Gu Maoxian, suas doenças infantis inspiraram Chen a estudar medicina. Conforme observa em seu prefácio, ele era hábil no tratamento de doenças externas desde sua juventude, explicando que “a medicina interna é para garantir que o coração de uma pessoa bata, enquanto a cirurgia é sobre os métodos do uso de uma faca”. Baseado em sua experiência de aproximadamente 40 anos de prática clínica, ele enfatiza a combinação das medicinas internas e externas necessárias para tratar os pacientes, bem como a importância de não confiar apenas no uso de facas e agulhas. Ele afirma: “Sou apenas um daqueles que possuem as técnicas. Apesar de ter buscado essa profissão durante a vida inteira, minha capacidade ainda é limitada. Aqueles que praticam boas ações são todos melhores do que eu. Então por que eu não deveria passar amplamente o que aprendi, em vez de esconder essas descobertas?”. Sobre este fundamento, Chen Shigong juntou materiais acerca de várias doenças externas, classificou todas em grupos, em seguida as vinculou às suas teorias, acrescentou estrofes e explicou claramente os métodos apresentados na obra. O conteúdo aborda até enfermidades sem muito risco, como micoses. O juan um descreve uma ampla variedade de feridas, com discussões gerais sobre causas, diagnósticos e tratamentos de doenças externas. O juan dois inclui mais de 100 doenças externas comuns, começando com a causa e a patologia da doença e seus sintomas clínicos, continuando com tratamentos detalhados e descrevendo os casos típicos. Ao todo, este juan enumera 16 tipos de feridas relacionadas ao cérebro e 24 referentes ao pulmão. O juan três começa com 25 tipos de abscessos e termina com 38 tipos de feridas relacionadas aos ossos. O juan quatro começa com 39 tipos de feridas vaginais e termina com os dez elementos essenciais para um médico, com 142 entradas. A obra contém mais de 30 ilustrações, descrevendo vários locais e formas das principais feridas. Por último, ela introduz o fabrico de vários medicamentos. Esta obra médica tradicional chinesa sobre cirurgia contém um valor significativo para o estudo e a pesquisa sobre teorias da cirurgia chinesa, prática clínica e medicina tradicional chinesa. Aqui apresentamos os prefácios, o índice e o juan um.

Última Atualização: 14 de abril de 2016