História do príncipe Qi que trabalhou como jardineiro, uma nova edição com anotações de som e ilustrações

Descrição

Xin kan yin zhu chu xiang Qi Shizi Guan yuan ji (História do príncipe Qi que trabalhou como jardineiro) foi escrita por Zhang Fengyi (de 1527 a 1613), um dramaturgo Ming, nome de cortesia Boqi, nome do estilo Lingxu, e natural de Changzhou (atual Wuxian, Jiangsu). Um jovem ambicioso, Zhang era o candidato mais bem colocado em testes civis provinciais, mas reprovou várias vezes em competições nacionais. Ele gozava de grande reputação literária, e sua escrita se caracterizava por fraseados floreados e de fantasia, muitas vezes usando alusões em suas peças. Em sua velhice, ganhou a vida vendendo suas obras de caligrafia, poema e prosa. Esta peça tem 30 cenas. Ela retrata Tian Fazhang, o príncipe Qi do período dos Estados Combatentes (de 475 a 221 a.C.), que, acompanhado de seu velho servente Wang Zhu, teme que a libertinagem e a negligência do rei quanto aos assuntos do Estado estejam o impedindo de ver a conspiração dos duques para de atacar Qi. Tian Fazhang adverte o rei, que na sua ira exila o príncipe para a distante Juzhou. Yue Yi, o famoso general do Estado de Yan, logo ataca Qi e ocupa mais de 70 cidades e vilas, e o rei de Qi é morto. Enquanto isso, Wang Zhu recomenda Tian Fazhang à família de Taishi Ao para trabalhar como jardineiro. O príncipe e a filha da família se apaixonam. Mais tarde, para derrotar o Estado de Yan, Tian Dan, o general Qi, usa a estratégia dos “bois flamejantes” (prender juncos lubrificados no rabo de milhares de bois e depois tocar fogo na ponta, fazendo com que os bois corram na direção do exército inimigo, seguidos por 5.000 soldados). Em seguida ele ajuda o príncipe a se tornar rei. Tian Fazhang governa com o nome Xiang Wang, de 283 a 265 a.C., e se casa com a filha da família para quem havia trabalhado, torna-a rainha. O enredo retrata fielmente a história de Qi, da derrota à restauração, incluindo intrigas da corte. A peça também narra a história de amor real. A cena do adorável Wang Zhu promoveu a imagem da moralidade confucionista do súdito leal, que se sacrifica pelo país. A história também satisfez o gosto do público. O título do juan um é uma inscrição que diz: “Ilustrado por Sima Zichang de West Han; compilado por Zhang Boqi de Ming; impresso por Fuchuntang em Jinling (atual Nanjing)”. Entre as obras que explicam essa história estão Shi ji. Tian Wan shi jia (Família de Tian Wan de Qi nos registros do grande historiador), Yue Yi lie zhuan (Biografia de Yue Yi), Tian Dan lie zhuan (Biografia de Tian Dan) e Zhanguo ce. Qi ce (“Estratégias de Qi” nas estratégias dos Estados Combatentes). Fuchuntang, o negócio de Tang Fuchun, nome do estilo Duixi, publicou muitas peças durante o reinado de Wanli (de 1573 a 1620) em Jinling. Esta cópia adicionou fonética a caracteres de difícil compreensão. O texto completo é exibido aqui, e as ilustrações são típicas do estilo de pintura Jinling: audacioso, livre, simples e folclórico. A adaptação mais famosa da peça, produzida pelo escritor Feng Menglong (de 1574 a 1645), do final da dinastia Ming, intitulada Xin guan yuan (A nova história do príncipe de Qi, o jardineiro), apresenta mais personagens secundários e preenche lacunas evidentes na trama.

Última Atualização: 14 de abril de 2016