Coleção de trocas poéticas entre os irmãos Su e seus discípulos

Descrição

Po men chou chang (Coleção de trocas poéticas entre os irmãos Su e seus discípulos) contém 660 trocas poéticas entre Su Shi (de 1037 a 1101) e Su Zhe (de 1039 a 1112), os dois famosos irmãos Song, e respostas de seus alunos no verso, incluindo Huang Tingjian (de 1045 a 1105), Qin Guan (de 1049 a 1100), Chao Buzhi (de 1053 a 1110), Zhang Lei (de 1054 a 1114), Chen Shidao (de 1053 a 1102), e Li Jian (de 1059 a 1109). Esta cópia da Biblioteca Nacional Central é uma edição Song produzida em Yuzhang. No frontispício há uma composição de Shao Hao (jin shi em 1163), escrita no primeiro ano (1190) do reinado Shaoxi da dinastia Song, intitulada Po men chou chang yin (Introdução à troca poética dos irmãos Su), seguida pelo prefácio (também datado de 1190) escrito por Zhang Shuchun de Yongjia, vice-mordomo de cerimônia, mais tarde Ministro de Recursos Humanos. A precaução contra caracteres tabus da dinastia Song é observada no livro pela omissão do último traço em cada caractere, como xuan, xian, jing, yin e assim por diante. Nomes de templos imperiais não foram evitados como tabu depois do imperador Ningzong (no poder de 1195 a 1224), da dinastia Song. O livro apresenta uma superfície lisa e brilhante, indicando que provavelmente nenhuma restauração foi feita. Na folha de guarda do juan um há uma observação manuscrita (datada de 1907) pelo colecionador de livros Yun Yuding (de 1862 a 1917), explicando a origem e as características da cópia. Ele diz: “Esta é uma cópia manuscrita fac-símile de uma edição Song de Tianlu Linlang, a Coleção do Palácio Imperial Qing. Durante o tumulto do ano de Genzi (1900), quando as tropas da Aliança de Oito Nações saquearam a capital, a maioria dos itens colecionados em Shiqu ting ge foi destruída pelo exército da aliança. Este livro acabou na embaixada italiana, sendo adquirido por Liu E, de Dantu (de 1857 a 1909), escritor, arqueólogo e político do final do período Qing. Porém, como Liu não pôde ficar com o livro, no mesmo ano o colecionador Dong Kang (Shoujin, de 1867 a 1947) comprou a obra por uma enorme quantia de dinheiro, e em seguida a mostrou a seus companheiros colecionadores. Embora fosse de boa qualidade, o livro não estava tão refinado quanto à edição impressa Song”. Este exemplar tem várias impressões de selos feitas por Li Tingxiang (de 1485 a 1544), renomado colecionador de livros Ming, e pelos colecionadores da era moderna Liu Shiheng (de 1871 a 1926) e Zhang Junheng (de 1872 a 1927). As impressões de selos incluem Puyang Li Tingxiang Shuangguitang shu ku si yin (Selo privado de Shuangguitang, biblioteca de Li Tingxiang de Puyang), um selo retangular com os caracteres vermelhos; Guichi Liu Shiheng jian cang jing ji jin shi shu hua ji (Registros de obras clássicas, bronzes e pedras, pinturas e caligrafias na coleção de Liu Shiheng de Guichi), um selo quadrado com caracteres vermelhos; Juqing mi ji, shi zhe bao zhi (Livros pertencentes a Juqing. Aqueles que os reconhecem os valorizam), um selo retangular com caracteres vermelhos; Ju xue shu cang (Livros da biblioteca de Juxuexuan), um selo quadrado branco; e Qin pu shou cang (Coleção de Zhang Junheng), um selo retangular com caracteres vermelhos. Além da cópia fac-símile, não há conhecimento de outras cópias da mesma edição. Durante o segundo e o terceiro ano de Xuantong (de 1910 a 1911), este título foi incluído na edição fac-símile de Yuhaitang ying Song cong shu (Série Yuhaitang de fac-símiles Song), publicada pelo colecionador de livros Liu Shiheng. Aqui apresentamos os prefácios, o índice e os juan um e dois.

Última Atualização: 14 de abril de 2016