Mapa geográfico da Nova França feito pelo Sr. de Champlain de Saintonge, capitão ordinário da Marinha do Rei

Descrição

A Nova França surgiu há mais de quatro séculos como resultado da determinação e do talento de Samuel de Champlain (de 1574 a 1635), um nativo de Saintonge, na França. Saindo de Honfleur, Champlain embarcou para o Canadá em 15 de março de 1603, chegando a Tadoussac após uma travessia pelo Atlântico que durou 40 dias. Primeiro ele reconheceu uma área de 50 a 60 quilômetros de extensão a montante do rio Saguenay. Depois, viajando pelo rio São Lourenço, chegou a um local perto da atual cidade de Montreal, coletando informações com os índios sobre a geografia da terra que procurava explorar. No verão de 1608, ele começou a construir a Habitação de Quebec, o posto comercial que se transformou na cidade de Quebec. Isso criou uma base para os franceses se estabelecerem no continente e explorar o interior. Após seu retorno à França, Champlain foi à corte real apresentar seus planos de fundar uma colônia norte-americana. Ele ofereceu ao rei algumas lembranças do período que permaneceu no Canadá: um cinto com pelo de porco-espinho, dois pequenos pássaros e uma cabeça de peixe. Aqui apresentamos o esplêndido mapa do país que Champlain mostrou ao rei. Ele exibiu o mesmo mapa ao conde de Soissons, a fim de obter aprovação para seus planos. Em 1612 Champlain mandou gravar o mapa para incluí-lo no relato de suas viagens, publicado por Jean Berjon no ano seguinte. Usando o norte magnético (da bússola), em vez do norte geográfico (indicado pela linha oblíqua ao longo do mapa), o mapa destaca os lugares que Champlain visitou, incluindo as costas de Terra Nova e Acádia (atual Nova Escócia) e o rio São Lourenço e seus principais afluentes. Ao oeste, o mapa retrata o rio Ottawa, também conhecido como Rivière des Algonquins (rio Algonquino). O rio foi percorrido por um jovem explorador e intérprete francês chamado Nicolas de Vignau. No extremo oeste há dois lagos, desenhados com base em informações coletadas dos índios, unidos por uma sault de au (francês antigo para “cascata”), ou seja, as Cataratas do Niágara. As primeiras menções conhecidas de alguns nomes aparecem no mapa, como por exemplo Percé, Cap-Chat (intitulado Cap de Chate, em homenagem a Aymar de Casto, tenente-general da Nova França em 1603), rio Batiscan, Lago Champlain e Lago Saint-Pierre. O mapa também indica as áreas habitadas por diferentes tribos nativas americanas na época: iroqueses, ao sul do Lago Champlain; montagnais, na margem sul do rio São Lourenço; algonquins, às margens do rio Ottawa; etchemin e souriquois, na costa atlântica; e huronianos, na região dos Grandes Lagos. Na parte inferior, bem como em outros pontos do mapa, encontram-se representações de plantas, frutas, vegetais e animais marinhos, apresentando as riquezas inexploradas dessa terra que os franceses reivindicavam. Dois casais americanos nativos também são retratados em poses típicas da época.

Última Atualização: 19 de junho de 2017