Ataque em Saint-Charles

Descrição

Esta gravura retrata uma cena das rebeliões ocorridas entre 1837 e 1838 no Canadá, iniciadas pela insatisfação com a situação política. O descontentamento se voltava particularmente à dominação britânica sobre os assuntos referentes ao que ainda eram duas colônias separadas, o Canadá Inferior (a porção sul da atual província do Quebec) e o Canadá Superior (a porção sul da atual província de Ontário). Durante a rebelião, os líderes reformistas do Canadá Inferior, sendo o mais proeminente deles Louis Joseph Papineau (1786 a 1871), basearam-se sobre as antigas tensões políticas para recrutar um grande número de apoiadores. Os rebeldes foram um desafio pequeno às forças militares do governo, que incluíam uma grande milícia leal sob o comando do General John Colborne, vinda do Canadá Superior. A força (rebelde) Patriote enfrentou as tropas e milícias britânicas em três ocasiões: em Saint-Denis, Saint-Charles e Saint-Eustache. Foi declarada lei marcial e muitos rebeldes, incluindo Papineau, fugiram para os Estados Unidos. Centenas de pessoas foram presas, muitas das quais foram transferidas para a Austrália, e outras foram enforcadas na prisão de Pied-du-Courant, em Montreal. O artista que realizou originalmente a obra a partir da qual Nathaniel Hartnell criou esta gravura, Lorde Charles Beauclerk (1813 a 1861), era um oficial que comandava soldados britânicos em Saint-Charles.

Última Atualização: 19 de junho de 2017