Relato original da viagem de Jacques Cartier para o Canadá em 1534

Descrição

No século XVI, a exploração e colonização do Novo Mundo não constituía alta prioridade da monarquia francesa, cuja principal preocupação era a rivalidade no continente europeu com o poderoso Império Habsburgo. Além disso, as Guerras Religiosas na França (de 1562 a 1598) haviam enfraquecido o país. A primeira viagem oficial de exploração patrocinada pelo governo francês foi realizada em 1524 por um experiente navegador italiano, Giovanni da Verrazano (de 1485 a 1528), a quem o rei Francisco I (no poder de 1515 a 1547) incumbiu a missão de descobrir uma nova rota para Catai (China). Financiado por banqueiros italianos estabelecidos em Lyon e Rouen, na França, Verrazano partiu de Dieppe a bordo do la Dauphine e explorou a costa leste da América, do Cabo do Medo (Carolina do Norte) até a Ilha do Cabo Breton (Nova Escócia). Ele inspecionou cuidadosamente cada abertura que dava esperança a uma passagem para a Ásia, e nomeou o futuro local de Nova York como Nova Angoulême. Dez anos depois, o rei ordenou que Jacques Cartier (de 1491 a 1557), um navegador bretão de Saint-Malo, realizasse outra expedição ao Novo Mundo. Cartier deixou Bretanha em 10 de maio de 1534, com dois navios e 61 membros de tripulação. Após 20 dias ele chegou ao litoral de Terra Nova, explorando em seguida a costa do Golfo de São Lourenço. Lá encontrou os índios micmac, que foram amigáveis e queriam fazer negócios. Na Baia de Gaspé, na Península de Gaspé (no atual Quebec), Cartier e seus homens ergueram uma cruz de quase dez metros. Ele retornou à França em setembro. Com ele estavam Taignoagny e Domagaya, dois jovens índios que Cartier provavelmente sequestrou ou que puderam partir com ele sob a condição de que os franceses retornariam com mercadorias europeias (historiadores divergem sobre o que aconteceu exatamente). O relato de Taignoagny e Domagaya sobre a existência de um reino muitíssimo rico chamado “Reino de Saguenay” convenceu o rei Francisco a financiar uma segunda viagem em 1535-1536 liderada por Cartier, que levou consigo Taignoagny e Domagaya como guias. Em 1541-1542 o navegador fez uma terceira viagem. Aqui apresentamos o relato de Cartier sobre sua primeira viagem, publicado numa edição do século XIX.

Última Atualização: 20 de novembro de 2015