Novas viagens do barão de Lahontan para a América do Norte

Descrição

Louis-Armand de Lom d’Arce (de 1666 a 1716), barão de Lahontan, foi um soldado francês enviado à América do Norte em 1683. Ele participou da campanha francesa contra os iroqueses no Lago Ontário em 1684 e foi colocado no comando do Forte Saint-Joseph (atual Niles, Michigan) em 1687. Em 1688-1689 Lahontan realizou explorações ao longo dos rios Fox e Wisconsin e nas áreas em torno da atual cidade de Green Bay, em Wisconsin. Ele voltou para a França em 1692, mas fugiu para Portugal no ano seguinte após uma discussão com Jacques-François de Monbeton de Brouillan, governador de Placentia (Plaisance) e Acádia, que havia o acusado de insubordinação. Lahontan passou o restante de sua vida vagando pela Europa. Em 1703 ele publicou Nouveaux voyages de Mr. le Baron de Lahontan dans l’Amérique septentrionale (Novas viagens do barão de Lahontan para a América do Norte), uma obra de dois volumes considerada o melhor livro do século XVII na Nova França. O volume um está escrito na forma de 25 cartas com descrições de lugares visitados por Lahontan e os relatos de suas viagens. O volume dois apresenta uma sequência do primeiro volume, Mémoires de l’Amérique septentrionale, que é uma descrição detalhada da geografia, do comércio e dos povos da América do Norte. O livro inclui ilustrações e um mapa, e conclui com o Petit dictionnaire de la langue des sauvages (Pequeno dicionário da língua dos índios), basicamente um glossário de palavras algonquinas e seus equivalentes em francês, além de algumas palavras huronianas. O livro de Lahontan foi amplamente lido, pirateado e traduzido na Europa, e influenciou o conceito de pensadores do século XVIII como Voltaire, Montesquieu e Jonathan Swift sobre povos não europeus.

Última Atualização: 20 de novembro de 2015