Índio nipissing no Canadá, 1717

Descrição

Esta impressão de 1717 colorida à mão mostra um guerreiro nipissing armado com arco e flecha, usando sapato mocassim e uma túnica e capa adquiridas dos europeus, e com o corpo cheio de tatuagens. Os franceses no Canadá, sacerdotes em particular, repugnavam as tatuagens indígenas por motivos religiosos que pregavam a santidade do corpo humano. Os índios nipissing eram um povo algonquino, encontrados pela primeira vez pelos franceses em 1613. A partir do início da década de 1600, os franceses formaram alianças e fizeram amizades com diversas tribos indígenas, incluindo montagnais, algonquinos, etchimins e micmacs. Seus aliados mais importantes foram os huronianos. Depois que os iroqueses derrotaram a confederação huroniana em 1648-1650, os franceses buscaram consolidar uma vasta aliança nativa que reunia as tribos nipissing, ottawa, ojibwa (chippewa), potowatomi, mascouten, fox, kickapoo, winnebago, sauk, miami e illinois. Este grande esforço diplomático culminou na Grande Paz de Montreal de 1701 entre a França e de 30 a 40 tribos indígenas (conhecidas no Canadá como as Primeiras Nações).

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Sauväge Nepisingue en Canada 1717

Tipo de Item

Descrição Física

1 aquarela: 23 x 18 centímetros

Referências

  1. Arnaud Balvay, “Tattooing and Its Role in French-Native Relations in the Eighteenth Century,” French Colonial History 9 (2008): 1-14.

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 8 de janeiro de 2018