Samuel de Champlain. Governador-geral do Canadá (Nova França)

Descrição

Não há retratos remanescentes de Samuel de Champlain produzidos durante sua vida. Esta litografia é uma imitação feita por volta de 1854. Ela se baseia no retrato de Michel Particelli d’Emery (superintendente das finanças durante o governo do rei Luís XIII), um contemporâneo de Champlain, e foi gravada em Paris por Balthasar Montcornet em 1654. Na parte inferior do retrato, o forjador assinou o nome “Ducornet”, uma versão alterada de Montcornet. Pouco tempo depois a obra foi atribuída a Louis-César-Joseph Ducornet, um artista com problemas especiais que pintava com a boca e com seu único pé. Mais tarde este retrato de Champlain inspirou várias imitações. Nascido antes de 1580 no pequeno porto atlântico de Brouage e numa família protestante (mais tarde se tornando católico), Champlain lutou no exército do rei Henrique IV de 1595 a 1598, e depois passou dois anos no Caribe. Em 1603, ele participou da expedição comercial e de reconhecimento liderada por François Gravé du Pont (nascido por volta de 1554), que o levou a Tadoussac, na costa atlântica do Canadá, e de lá para Hochelaga (a região de Montreal). Para Champlain, este foi o início de uma carreira excepcional como explorador, desenhista, cartógrafo, colonizador, propagandista e autor de inúmeros relatos de viagem. Ele é frequentemente celebrado como o “pai da Nova França”. A serviço do comerciante protestante, Pierre Du Gua de Monts, Champlain participou do início da colonização francesa em Acádia (atual Nova Escócia) entre 1604 e 1607. Em 1608 ele fundou um posto comercial na cidade de Quebec, e até sua morte, em 1635, realizou diversas viagens de ida e volta da França para o Novo Mundo, à medida que buscava abrir a Nova França para o desenvolvimento. Interessado sobretudo no conhecimento e domínio da terra, Champlain subiu o rio Ottawa para chegar à Baía Georgiana, no interior canadense. Ele fez alianças com índios montagnais, algonquinos e principalmente huronianos, com quem foi para a guerra contra os iroqueses em três ocasiões.

Última Atualização: 24 de maio de 2016