Mapa do norte do Oceano Atlântico, 1674

Descrição

Da década de 1500 à década de 1700, exploradores, geógrafos e o governo real da França continuaram buscando uma passagem que possibilitaria uma fácil comunicação entre o Atlântico e o Pacífico e um melhor acesso aos tesouros das Índias Orientais. Estimulada por relatos indígenas, a ideia de um mar especial ao norte da Califórnia surgiu em meados do século XVII. Geógrafos rapidamente se apoderaram desse hipotético Mar Ocidental e lhe deram uma vida na cartografia. A família de L’Isle estava no centro dessa ilusão geográfica. Denis de Rotis, um piloto basco de Saint-Jean de Luz, estava convencido da existência de uma passagem no noroeste. Neste gráfico portulano de 1674, ele representou a passagem como localizada ao norte e em paralelo ao rio São Lourenço. Criado para fins de navegação, o mapa utiliza a rede tradicional de loxodromia correspondente às 32 direções da bússola. Ele mostra a costa atlântica do nordeste dos Estados Unidos a partir da Virgínia até a Espanha, e a costa do Canadá em direção ao norte até Labrador. A inscrição na parte inferior esquerda informa: Faict à Sainct Jean de Luz par Moy Denis de Rotis 1674 (Feito em Saint-Jean de Luz por mim, Denis de Rotis, 1674). Navegadores bascos foram responsáveis ​​por muitos dos primeiros mapas do Atlântico Norte. Junto com os portugueses, os bascos foram os primeiros a chegar aos pontos de pesca ao longo da costa de Terra Nova. Eles começaram a caçar baleias e a pescar bacalhau nessas águas por volta de 1525. Seu método consistia em navegar para a América do Norte na primavera e retornar aos seus portos de origem no Golfo da Biscaia em dezembro ou janeiro, quando as condições do gelo no Atlântico Norte pioravam.

Última Atualização: 19 de agosto de 2015