Comentário sobre o epítome de Ibn al-Nafis

Descrição

Sharḥ Mūjiz ibn al-Nafīs (Comentário sobre o epítome de Ibn al-Nafis), também conhecido como al-Mughnī (O suficiente), escrito por Sadid al-Din ibn Mas’ud Kazaruni (falecido em 1357), é um conhecido texto médico do século XIV. A obra é também uma maravilhosa ilustração da tradição de comentar no mundo islâmico: Sharḥ Mūjiz ibn al-Nafīs consiste no comentário de Sadid al-Din sobre al-Mūjiz de Ibn al-Nafis (por volta de 1210 a 1288). Al-Mūjiz, por sua vez, foi a síntese ou resumo escrito por Ibn al-Nafis sobre seu próprio comentário do al-Qānūn fī al-ṭibb (O cânone da medicina) de Ibn Sina (de 980 a 1037, conhecido no Ocidente como Avicena). A obra de Ibn al-Nafis consiste em quatro capítulos chamaddos fann (arte). O primeiro fann contém os princípios da teoria e a prática da medicina. O segundo fann é um estudo sobre a matéria médica e os alimentos, acompanhado por um tratado sobre medicamentos compostos. O terceiro fann lida com doenças específicas para cada órgão, bem como suas causas, sintomas e tratamentos. O último fann é sobre os sintomas não específicos de certos órgãos, como febres e inchaços. Este manuscrito contém apenas o comentário de Sadid al-Din sobre os fann três e quatro da obra de Ibn al-Nafis. Sadid al-Din conclui seu trabalho listando alguns dos autores cujas obras ele consultou como referência. Entre eles estão Hipócrates, Galeno, Hunayn ibn Ishaq al-ʻIbadi, Muhammad ibn Zakariya Razi (conhecido no Ocidente como Rhazes ou Rasis), e Ibn Sina. O autor também destaca o comentário de Qutb al-Shirazi sobre al-Qānūn, chamado al-Tuḥfa al-Sa‘dīya (O oferecimento de Saʻdīya), como uma importante fonte para o seu comentário. O nome de Shirazi que aparece no presente manuscrito como “al-Razi al-Shirazi” é claramente um erro. Na verdade, Shirazi é mencionado como Kazaruni por alguns biógrafos (provavelmente em referência ao local de nascimento de seu pai), então em alguns relatos ele compartilha este nome com Sadid al-Din. O manuscrito foi concluído no dia 21 de Rabi al-Thani de 1065 A.H. (28 de fevereiro de 1655). O texto se apresenta numa linda escrita naskh em tinta preta e vermelha.

Última Atualização: 27 de novembro de 2015