Candaar em 1879

Descrição

Candaar em 1879 é o diário do major-brigadeiro Augusto Le Messurier (de 1837 a 1916), um engenheiro ferroviário da Índia Britânica que entrou para os Engenheiros de Bombaim em 1856 e alcançou o posto de engenheiro-chefe e secretário do governo de Punjab em 1889. Em novembro de 1878, pouco antes do início da Segunda Guerra Anglo-Afegã, Le Messurier foi enviado para trabalhar na Força de Campo de Quetta, que na época ficava em Mooltan (atual Multan, no Paquistão). Comandada pelo tenente-general Donald Stewart, a força era uma das três colunas que invadiram simultaneamente o Afeganistão durante a primeira fase da guerra. Incumbida de limpar o caminho pelo Passo de Bolan e pelos vales até Candaar, a Força de Campo de Quetta não experimentou tanta ação quanto as outras duas colunas, mas enfrentou uma severa escassez de suprimentos e encontrou terrenos e condições climáticas difíceis antes de alcançar e ocupar a cidade. O diário, que apresentamos aqui em forma de livro, mas sem introdução ou conclusão, narra os acontecimentos que acompanharam a marcha para Candaar e o tempo que Le Messurier serviu no Afeganistão antes de voltar para a Índia em outubro de 1879. Os registros estão divididos em 14 capítulos. Os três primeiros capítulos descrevem o avanço a Candaar e as dificuldades encontradas pela força. Os capítulos de quatro a 12 tratam da vida militar no acantonamento britânico em Candaar, além de descrever as fortificações da cidade, os recursos naturais, os bairros, os comércios, as antiguidades e os entretenimentos. Os dois últimos capítulos descrevem os preparativos iniciais feitos pelos soldados britânicos para se retirar para a Índia após o fim da primeira fase da guerra, bem como a retirada das tropas depois da insurreição afegã em Cabul e o assassinato do enviado britânico a Cabul, Sir Louis Cavagnari, eventos que desencadearam a segunda fase da guerra. Le Messurier não permaneceu no Afeganistão, sendo enviado de volta para a Índia, onde trabalhou como engenheiro-chefe e gerente da Ferrovia Estadual de Mysore. O diário foi publicado em Londres em 1880.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016