Os ‎Livros do Conhecimento da Astronomia

Descrição

O manuscrito Libros del saber de astronomía (Os ‎Livros do Conhecimento da Astronomia) é composto por 16 tratados sobre a ciência dos corpos celestes e os instrumentos usados nesse estudo. A obra contém traduções do aramaico e do árabe realizadas por várias pessoas, entre elas, Yehuda ben Moshe Hakohen (também conhecido como Jehuda ben Moses Cohen) e Rabiçag de Toledo (também conhecido como Rabbi Zag e Isaac ben Sid), sempre sob supervisão direta do Rei Afonso X de Leão e Castela (1221 a 1284, chamado de Afonso, o Sábio) para garantir o uso mais correto possível do castelhano. Entre os tradutores, que faziam parte da Escola de Toledo, havia judeus, cristãos e muçulmanos. A obra é dividida em três seções temáticas amplas: astronomia (abordada no Tratado 1, que descreve as esferas celestiais e os signos do zodíaco, constelação por constelação); operação e fabricação de vários instrumentos para observações astronômicas (abordadas dos Tratados 2 a 10, bem como no 16) e instrumentos para medir o tempo (Tratados 11 a 15). Toledo, Burgos e Sevilha são mencionadas no códice, sugerindo que essas cidades foram locais onde a obra pode ter sido feita. Estudiosos acreditam, porém, que na época da composição da obra, de 1276 a 1279, a oficina régia de Afonso localizava-se em Sevilha. O códice apresenta todas as características dos livros produzidos pela oficina régia do Rei Afonso. Ele consiste em 201 fólios de pergaminho grosso, porém bem preparado, como era de se esperar de um produto de uma oficina régia. A cópia do texto ficou a cargo de um copista, com escrita gótica uniforme e cuidadosa. No texto, foi usada tinta marrom e, nas legendas dos capítulos, tinta vermelha. Símbolos vermelhos marcam o início de cada parágrafo. Letras maiúsculas são decoradas com detalhes em vermelho. O texto é dividido em duas colunas em todas as páginas, havendo ilustrações ou não. As ilustrações, realizadas com máximo refinamento e técnica, incluem as iniciais no começo dos livros e capítulos, os floreios que delineiam as margens das colunas em algumas partes do códice e que aparecem no fim de alguns parágrafos, várias tabelas ilustrativas e as imagens que ilustram o texto em si. As iniciais nas cores vermelho e azul e as molduras com filigranas caligráficas são elementos decorativos especialmente marcantes e característicos das influências gótica e mudéjar. No entanto, as decorações mais representativas, 162 delas de página inteira, são as que ilustram o texto com propósito claramente didático. O códice, que originalmente fazia parte do acervo da biblioteca da Rainha Isabel, a Católica, e depois foi vendido para o Cardeal Francisco Jiménez de Cisneros pelo Rei Fernando II de Aragão, foi incluído no primeiro grupo de obras armazenadas na biblioteca da Universidade Complutense. Ainda há nove cópias da obra, todas produzidas posteriormente. Essas cópias contribuem para aprofundar o conhecimento sobre seções danificadas ou perdidas do manuscrito original.

Data de Criação

Data do Assunto

Idioma

Título no Idioma Original

Libros del saber de astronomía

Tipo de Item

Descrição Física

201 fólios: pergaminho; 47 centímetros

Observações

  • Antes pertencente a Isabel I, Rainha da Espanha, e ao Colegio Mayor de San Ildefonso em Alcalá de Henares (código BHI BH MSS 156).

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 29 de dezembro de 2015