Da Terra à Lua, diretamente em 97 horas e 20 minutos

Descrição

Em 1862 o editor francês Pierre-Jules Hetzel (de 1814 a 1886) fundou a revista juvenil Le Magasin d'éducation et de récréation (Revista de educação e entretenimento), e solicitou a Júlio Verne (de 1828 a 1905) que contribuísse com a revista escrevendo romances. Mais tarde Hetzel criou uma coleção intitulada Les Voyages extraordinaires (Viagens extraordinárias), dedicada exclusivamente às obras de Verne, cujo objetivo era “resumir o conhecimento... Acumulado pela ciência moderna... Em seu próprio formato atraente, pitoresco e colorido”. A coleção apresentou De la terre à la lune (Da Terra à Lua) em 1865, logo após a publicação da obra no Journal des Débats (Jornal de debate). O livro pode ser classificado como ficção científica: a ciência desempenha um papel fundamental na história, que analisa o efeito potencial de inovações técnicas sobre a natureza e discute as tensões entre a economia e a sociedade causadas ​pela inovação científica. A obra também usa uma narrativa que é tanto pseudocientífica como precisa, e que por isso estimula o leitor a acreditar nas teorias às vezes excêntricas e nas narrativas. Os personagens são animados e aventureiros. De la terre à la lune e sua continuação, Autour de la lune (Ao redor da Lua), publicadas em 1869, são hoje em dia consideradas clássicos da literatura. Esta obra é ilustrada por Henri de Montaut (por volta de 1825 a 1890), assim como muitos outros romances de Júlio Verne.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

Pierre-Jules Hetzel, Paris

Idioma

Título no Idioma Original

De la terre à la lune, trajet direct en 97 heures 20 minutes

Lugar

Tipo de Item

Descrição Física

171 páginas

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 8 de julho de 2015