O procurador da Judeia

Descrição

Anatole France, nome de batismo Jacques Anatole François Thibault (de 1844 a 1924), foi um dos mais famosos escritores do seu tempo. Jornalista, prolífico autor e membro da Académie Française desde 1896, recebeu o Prêmio Nobel de literatura em 1921, mas desde então tem sido pouco reconhecido. Escrita num estilo bem clássico, mas com ironia, sua obra Le Procurateur de Judée (O procurador da Judeia) é um breve conto escrito para provocar reflexões sobre história, memória e nossa compreensão do mundo. É a história de dois amigos romanos, Lamia e Pôncio Pilatos, que, no final de suas vidas, relembram dos momentos que passaram na Palestina. Pilatos se lembra de tudo: seu desgosto pelos judeus e seus costumes, suas rivalidades com outros oficiais romanos e as severas sanções militares que ordenou. Nada escapa à sua memória, exceto a existência de um líder desconhecido que há muito tempo ele condenou à morte: “Jesus de Nazaré! Não me lembro”. O próprio evento que fez seu nome entrar para a história se perde nele. A história foi publicada em 25 de dezembro de 1891, no periódico Le Temps, com o título Conte pour le jour de Noël (Conto para o dia de Natal). No ano seguinte, a obra foi inclusa numa coleção de escritos intitulada L’Etui de nacre (A caixa de madrepérola), publicada em 28 de setembro de 1892. Aqui apresentamos uma edição de luxo de Le Procurateur de Judée, publicada pela Pelletan em 1902, que inclui 14 desenhos de Eugène Grasset (de 1841 a 1917), no estilo baixo-relevo da Roma Antiga.

Data de Criação

Data do Assunto

Informação da Publicação

E. Pelletan, Paris

Idioma

Título no Idioma Original

Le Procurateur de Judée

Tipo de Item

Descrição Física

44 páginas

Estrutura Internacional para a Interoperabilidade de Imagens (IIIF) Ajuda

Última Atualização: 8 de julho de 2015