Carmina Burana

Descrição

Este manuscrito contém 318 canções, a maioria em latim, e algumas em alemão. Seu conteúdo é quase exclusivamente irreverente: sátiras e poemas moralizantes instrutivos, canções de amor e de primavera, e versos sobre bebidas e jogos são aqui reunidos na coleção mais abrangente e importante da poesia lírica do século XII e início do século XIII. As canções parecem derivar de várias fontes, algumas provavelmente tiveram suas origens com estudiosos viajantes. Além das canções, o manuscrito contém duas peças latinas: uma peça sobre Natividade e outra sobre Paixão. Em algumas partes da obra as canções apresentam melodias na forma de neumas. Há oito ilustrações, a maioria na parte final dos grupos de canções de assunto semelhante. Três escribas trabalharam no manuscrito, que, de acordo com a caligrafia e o idioma, deve ter sido produzido na região dos Alpes do sul. Há evidência que esse manuscrito esteve no mosteiro de Benediktbeuern somente a partir do século XVIII em diante. Em 1803, quando o mosteiro foi dissolvido, o manuscrito foi descoberto por Johann Christoph von Aretin. As canções de Benediktbeuern foram popularizadas pelo compositor Carl Orff (de 1895 a 1982), que mais tarde as transformou numa cantata com o título Carmina Burana (1937).

Última Atualização: 3 de abril de 2015