Mapa de Ezo

Descrição

Temendo a chegada do cristianismo e de forças estrangeiras, no período Edo (de 1603 a 1867) o Japão proibiu seu povo de viajar ao exterior e realizar comércios e tráfegos com outros países, exceto com Coreia, China e Holanda. Em 1828, Philipp Franz Balthasar von Siebold, um alemão que foi ao Japão para trabalhar como médico no posto comercial holandês, tentou levar para a Holanda alguns itens proibidos, incluindo mapas do Japão, depois de concluir seu trabalho no posto. Siebold foi deportado e proibido de retornar ao Japão, enquanto Takahashi Kageyasu (de 1785 a 1829, popularmente conhecido como Sakuzaemon), o oficial japonês do Departamento de Astronomia do Xogunato que forneceu os mapas a Siebold, foi executado. Ao todo, mais 50 pessoas foram punidas pelo incidente. Acredita-se que esse mapa de Ezo (atual Hokkaido, também conhecido como Yezo) seja o mapa original que Takahashi deu a Siebold. É quase idêntico ao “Die Insel Jezo und die Japanischen Kurilen, nach einer Originalkarte von Takahasi Sakusaimon, Hofastronomen zu Jedo” (Ezoshima e as Ilhas Curilas japonesas, com base num mapa original de Takahashi Sakuzaemon, astrônomo da corte em Edo), que foi publicado como um mapa de acompanhamento em Nippon, uma obra de sete volumes sobre o Japão feita por Siebold. Há também uma etiqueta, cuja data acredita-se ser da investigação do incidente, com uma inscrição afirmando que o mapa (dado a Siebold por Takahashi) era uma cópia exata deste. O mapa contém um selo de propriedade da Academia Shōheizaka, instituição de ensino do Xogunato de Edo.

Última Atualização: 19 de junho de 2017