A vida e os milagres de São Francisco de Assis

Descrição

Boaventura de Bagnoregio (por volta de 1217 a 1274), o grande teólogo franciscano também conhecido como “Doutor Seráfico”, começou a escrever Legenda major sancti Francisci (A vida e os milagres de São Francisco de Assis) em 1260. Ele compilou documentos e testemunhos de ex-companheiros de São Francisco que ainda estavam vivos. Esse manuscrito em formato pequeno é uma tradução anônima dessa obra do latim para o francês. O nome da adquirente não é conhecido, mas sabe-se que ela era uma pessoa reservada, muito provavelmente uma senhora da alta sociedade, conforme parece indicar o fólio 91v. Com caligrafia bastarda em negrito, o manuscrito apresenta uma escrita de qualidade, com 25 linhas por página em 143 folhas. Sua magnífica decoração conta com 14 grandes lindas miniaturas pintadas (duas com bordas) que ilustram a primeira parte do manuscrito, cobrindo a vida de São Francisco, e outras 49 na segunda parte ilustrando seus milagres. As duas grandes miniaturas com bordas mostram São Francisco dando suas roupas a um mendigo e recebendo os estigmas. Diante dele ajoelha-se a figura da senhora para quem o livro foi produzido. Um pedaço da margem inferior de cada uma das folhas foi cortado, aparentemente removendo o brasão. A iluminura foi feita na província de Anjou. A obra lembra o retábulo da família Beaussant, que pode ser visto na sala do tesouro da Catedral de Angers.

Última Atualização: 17 de outubro de 2017