Album amicorum de Jacob Heyblocq

Descrição

Na época de Jacob Heyblocq (de 1623 a 1690), livros de amizade (chamados por seu nome latino: alba amicorum), eram populares entre os estudantes que viajavam de universidade para universidade. Estudiosos viajantes levavam consigo os livros em suas turnês universitárias. Quando encontravam figuras notáveis ​​que gostariam de lembrar, pediam a essas pessoas para escreverem uma breve inscrição no livro. As inscrições geralmente consistiam de breves citações e expressões de amizade, juntamente com a data e assinatura. Às vezes os alunos tinham seus retratos ou o brasão da família desenhados no livro. O album amicorum acompanhava os estudantes ao longo de sua carreira acadêmica e geralmente depois da conclusão dos estudos se perdia dentro de uma gaveta. Jacob Heyblocq teve uma atitude diferente. Ele estudava teologia em Leiden, quando começou seu livro em 1645, e sua declaração na primeira página deixa claro desde o início que ele queria que o livro fosse muito mais do que um livro de amizade casual. Escrito em latim, Heyblocq se dirigia às pessoas “mais importantes, cultas e nobres” de seu tempo e declarou que o seu único e maior prazer na vida, além de cumprir com todas as suas obrigações, era ler as contribuições nos álbuns. Ele pediu aos “maiores pensadores deste século e à mais alta realeza” para escreverem suas “brilhantes contribuições” neste “audacioso livro”, e prometeu que as palavras escritas continuariam vivendo após a morte de seus autores. Heyblocq seguiu suas ambições com determinação. Após concluir seus estudos, ele passou a ensinar na escola de latim no canal Nieuwezijds (Novo lado), em Amsterdã. O século XVII foi uma época de ouro para Amsterdã, em que essa cidade de classe mundial viu o florescimento da ciência, da cultura e das artes. Por volta de 1660, Hecblocq se tornou diretor de sua escola de latim, uma posição que o colocou em contato com a elite cultural de Amsterdã, incluindo poetas, professores, artistas e pintores. Ele pediu para que todos eles contribuíssem com seu album amicorum. O índice apresenta o nome de todos os que aderiram ao seu pedido. A maioria das contribuições vai muito além das habituais expansões de amizade. Muitos poemas foram compostos no próprio local, especialmente para o álbum, e em geral em holandês ou latim. Aforismos e versículos da Bíblia, em latim, grego e hebraico, também aparecem entre os escritos. Estas ilustres contribuições tornam o volume o exemplo mais rico e belamente ilustrado do album amicorum na história holandesa.

Última Atualização: 19 de agosto de 2015