“Livro dos peixes” de Adriaen Coenen

Descrição

Em 1577, Adriaen Coenen, aos 63 anos, no porto de pesca holandês de Scheveningen, deu início ao seu Visboek (Livro dos peixes). Durante um período de três anos ele coletou todos os tipos de informações sobre mar, litorais e águas costeiras, zonas de pesca e animais marinhos, produzindo ao todo 410 páginas de conhecimento técnico. Ao longo de sua vida, Coenen tirou seu sustento do mar, trabalhando como pescador, mestre de salvamento e a partir de 1574 como leiloeiro oficial de peixes em Scheveningen. Ele transformou quase todas as páginas numa obra de arte em miniatura ao colocar seus textos e ilustrações dentro de molduras, margens e cártulas pintadas em aquarela. Coenen deve ter percebido o valor especial de seu livro, como sugerem as atas das sessões da corte em Leiden de 1583. Elas contêm uma observação indicando que Coenen solicitou uma permissão para mostrar seu livro e sua coleção de peixes desidratados “na próxima feira livre anual e festival pela libertação da cidade [3 de outubro], recebendo de cada pessoa um duit (uma pequena moeda), e um oortgen (equivalente a dois duiten) dos que quisessem ver o livro”. Em outras palavras, ver seu livro custava duas vezes o valor que ver os peixes desidratados. No verso do fólio 11, Coenen escreveu as seguintes linhas sobre seu livro: “Quem quer que leia ou estude este livro / Pode contar sua experiência a / Outros que podem ver e ouvir”. Uma das maravilhas do mar que os espectadores podiam admirar na obra foi intitulado “O verdadeiro retrato e tamanho desta baleia capturada em ij de julho d.C. m.d.lxxvij”, pintado em aquarela em duas páginas. Coenen havia desenhado essa baleia depois que uma gravura apareceu no mesmo ano (1577). O desenho e o subtítulo registram um evento interessante: uma baleia capturada próxima à areia nas águas rasas do rio Escalda perto de Doel, norte de Antuérpia, e que chamou muita atenção. Alguns anos depois Coenen produziu um segundo livro com base neste manuscrito, que atualmente está em Antuérpia; um terceiro, também com desenhos de baleias, faz parte de uma coleção em Colônia.

Última Atualização: 19 de agosto de 2015