Afeganistão

Descrição

Angus Hamilton foi um jornalista britânico que trabalhou como repórter para uma série de jornais e revistas entre 1894 e 1912. Entre outros eventos, Hamilton registou a Guerra dos Bôeres na África do Sul, a revolta Boxer na China e a Guerra Russo-Japonesa de 1904 a 1905. Como a maioria dos livros desta época, Afeganistão aborda seu assunto sob a óptica da rivalidade entre Grã-Bretanha e Rússia pela influência na Ásia Central, o que ficou conhecido como o “Grande jogo”. O primeiro capítulo é dedicado à Ferrovia Orenburgo-Tashkent (na atuais regiões da Rússia, Cazaquistão e Uzbequistão) concluída recentemente pelos russos. Os capítulos seguintes são oferecidos aos canatos, às províncias e aos distritos no norte do Afeganistão, com destaque para Bucara, Tashkent, Samarcanda e Merv, territórios atualmente situados no Uzbequistão e no Turcomenistão, e os demais contam sobre Herat, Kandahar, Seistão (Sistão) e Cabul. Hamilton também dedica capítulos separados para províncias e grupos étnicos do país; administração, direito e receita pública; comércio e indústria; e exército. O autor elogia bastante Abd al-Rahman Khan, governador do Afeganistão de 1880 a 1901, por seu trabalho na criação de um exército moderno, mas conclui: “É lamentável que o falecido emir, enquanto transformava um conjunto heterogêneo de tribos guerreiras num país independente e arrumado, não conseguiu passar ao seu filho nem sequer um pouco de suas próprias capacidades excepcionais.” Seu filho e sucessor foi Habibullah Khan (de 1872 a 1919, no poder de 1901 a 1919). A edição apresentada aqui é a segunda do livro, publicada em Boston e em Tóquio como parte das “Séries Orientais”. A primeira edição foi publicada em Londres em 1906.

Última Atualização: 30 de setembro de 2016